Mudanças na preferência de sabor em uma coorte de usuários de cigarro eletrônico de longo prazo

Publicado:

Tempo de leitura: 2 minutos

Trabalho de Ping Du, Rebecca Bascom, Tongyao Fan, Ankita Sinharoy, Jessica Yingst, Pritish Mondal e Jonathan Foulds

Artigo original: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7193816/

“A migração de sabor para sabores doces ocorreu em usuários de cigarro eletrônico de longo prazo, uma tendência mais pronunciada em usuários de cigarro eletrônico mais jovens e exclusivos. A manutenção antecipada do acesso aos sabores, apesar da regulamentação, sugere um elemento de dependência relacionada ao cigarro eletrônico que requer uma avaliação mais aprofundada. O presente estudo pode informar médicos, pesquisadores e o FDA para abordar a preocupação de que muitos usuários de longo prazo declaram a intenção de buscar fontes ilícitas de sabor no caso de uma proibição de sabor, o que pode causar problemas de saúde imprevistos.

Abstrato

Justificativa

O uso de cigarros eletrônicos (e-cigarros) aumentou rapidamente nos Estados Unidos, e milhares de sabores de cigarros eletrônicos estão disponíveis. No entanto, ainda há uma escassez de evidências sobre os padrões de uso de sabores de cigarros eletrônicos entre usuários de cigarros eletrônicos mais velhos.

Objetivos

Este estudo longitudinal examinou mudanças nos padrões de uso de sabor em usuários de cigarro eletrônico de longo prazo, avaliou reações adversas auto-relatadas e avaliou as reações antecipadas dos usuários a possíveis cenários regulatórios de sabor de cigarro eletrônico da Food and Drug Administration dos EUA.

Métodos

A população do estudo foi de 383 participantes adultos que completaram duas pesquisas online sobre cigarros eletrônicos em 2012–2014 (pesquisa inicial) e em 2017–2019 (pesquisa de acompanhamento). Em ambas as pesquisas, os participantes foram questionados: “Pensando no seu líquido preferido, qual é o nome desse sabor líquido?” e listar todos os sabores usados ​​nos últimos 30 dias. A preferência de sabor foi classificada usando o método Penn State Three-Step Flavor Classification. Os participantes relataram eventos adversos (descrição aberta) com o sabor associado. Cenários regulatórios foram apresentados e os participantes selecionaram ações percebidas entre uma lista de 15 opções.

Resultados

A idade média dos participantes foi de 44 ± 12 anos; 86% eram usuários exclusivos de cigarros eletrônicos e 13% relataram “poliuso” (ou seja, uso de cigarros eletrônicos e outros produtos derivados do tabaco). A migração da preferência de sabor do cigarro eletrônico ocorreu em todos os grupos demográficos: apenas 36-44% mantiveram a preferência pelo sabor original. A preferência por tabaco e mentol ou menta diminuiu ao longo do tempo (40% na linha de base vs. 22% no acompanhamento); a preferência por frutas permaneceu estável (23% na linha de base e acompanhamento), mas a preferência por chocolate/doces ou outros doces aumentou significativamente (16% na linha de base versus 29% no acompanhamento) e outros sabores aumentaram ligeiramente. A migração para sabores doces foi mais perceptível em adultos mais jovens (18–45 anos); usuários exclusivos de cigarros eletrônicos preferiram sabores doces com mais frequência do que poliusuários (31% vs. 19%). Reações adversas associadas ao sabor, principalmente irritações respiratórias, foram relatados por 26 (6,9%) participantes. Quase 50% dos participantes relataram que “encontrariam uma maneira” de comprar seu sabor preferido ou adicionar agentes aromatizantes se os sabores que não fossem de tabaco fossem proibidos.

Conclusões

A migração de sabor para sabores doces ocorreu em usuários de cigarro eletrônico de longo prazo, uma tendência mais pronunciada em usuários de cigarro eletrônico mais jovens e exclusivos. A manutenção antecipada do acesso aos sabores, apesar da regulamentação, sugere um elemento de dependência relacionada ao cigarro eletrônico que requer uma avaliação mais aprofundada. Essas informações podem ajudar os médicos a entender os impactos dos sabores dos cigarros eletrônicos na saúde, desenvolver estratégias apropriadas para parar de fumar e informar a Food and Drug Administration dos EUA para planejar a regulamentação futura dos sabores dos cigarros eletrônicos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Outros artigos

Cientista é banido de conferência sobre cigarros eletrônicos por difamação de organização anti-vaping

O sociólogo norueguês Karl Erik Lund foi banido de uma conferência que ajudou a organizar por conta de acusações infundadas.

Procura-se morte por cigarros eletrônicos e paga-se bem

Que tal ganhar mais de 30 mil reais provando que os cigarros eletrônicos já provocaram alguma morte no mundo?

A ideia de que os sabores dos cigarros eletrônicos fisgam as crianças é simples, convincente – e falsa.

Cigarros eletrônicos com sabores são motivo de muito debate, mas em muitos casos acabamos por ter que usar o princípio da assimetria da besteira.

A lei brasileira sobre os cigarros eletrônicos e o panorama do país nos dias atuais

Conheça em detalhes a lei brasileira sobre cigarros eletrônicos e a situação geral do país em relação aos produtos.

Newsletter

- Receba notícias em seu email

- Não compartilhamos emails com terceiros

- Cancele quando quiser

Últimas notícias

Paulo Jubilut, biólogo famoso com mais de 2.5 milhões de inscritos no Youtube, divulga vídeo com fake news sobre o vape

Da quantidade de nicotina no vape e nos cigarros até Acetato de Vitamina E, o biólogo não fez a pesquisa necessária para tratar do tema.

Decisão da ANVISA sobre cigarros eletrônicos pode ser anulada pela câmara dos deputados

Ex-diretora Cristiane Jourdan é acusada de "politização do processo" e "revanchismo" na tentativa de manter o cargo.

Vape é oportunidade de colaboração entre indústria e governo para combater tabagismo

Estudos apontam que o cigarro eletrônico desempenha importante papel na redução de danos do tabaco, apoiando a prevenção de recaídas e crises de abstinência; caso da Nova Zelândia é considerado exemplar

Aumenta a certeza de que DEFs são mais eficazes para parar de fumar do que adesivos e gomas de mascar de nicotina

Conclusão foi da Biblioteca Cochrane, referência no mundo em revisão de pesquisas de saúde.

Vídeo mostra que falta de regulação do mercado vaping estimula trabalho infantil na China

O mercado não regulado de vaporizadores alimenta uma indústria ilegal que explora crianças.