Carregando corretamente seu vaporizador

Publicado:

Tempo de leitura: 4 minutos

Carregar seu vape pode ser perigoso se feito de forma errada, resultando em queima dos aparelhos e até potenciais explosões.

Nem toda pilha pode ser usada no vape

Temos um artigo bem completo sobre isso que você pode conferir clicando aqui. Pra resumir, nem toda pilha pode ser usada nos vapes (mesmo que elas caibam e até funcionem) e usar pilhas não recomendadas pode causar acidentes!

As pilhas no vapor precisam ter alta corrente, normalmente 20A. Pilhas de lanterna possuem no máximo 5A. Então só use aquelas recomendadas, você encontra uma lista delas clicando aqui.

Pode carregar as pilhas diretamente no vape?

Sim e não.

Muita gente carrega diretamente no seu vape e muitos fabricantes dizem que você pode fazer isso. Por outro lado, há também muitos relatos de queima de aparelhos, descarregamento de pilhas e em raros casos até explosões! Isso somente quer dizer que o menor risco é carregar em um carregador externo e se você optar por carregar diretamente no seu vape haverá sim um risco indefinido de problemas.

Os vapes não foram feitos para carregar pilhas e normalmente possuem chips de carregamento com qualidade inferior àqueles dos carregadores específicos para isso. De todos os aparelhos do mercado só se indica o carregamento através dos chips DNA, feitos pela empresa Evolv LLC e usados em vários modelos.

Esses utilizam os componentes de balanceamento de carga da Texas Instruments, que são os mesmos usados pela marca Nitecore em seus carregadores externos, uma das mais conceituadas empresas fabricantes do setor.

O problema é que esses aparelhos normalmente custam mais de R$ 1.000,00.

Portanto há uma troca inevitável entre a praticidade de carregar diretamente no mod e a maior segurança ao investir e utilizar um carregador externo, cabendo a você saber disso e tomar sua decisão.

É preciso descarregar completamente as pilhas antes de carregá-las novamente?

Mais ou menos.

As pilhas recomendadas para uso nos vapes tem uma química que não apresenta mais o “efeito memória”, quando antigamente se falava que a pilha ou bateria ficava “viciada” e não carregava mais até 100%.

Porém cada vez que você carrega uma pilha, ela estará passando por um novo “ciclo” de carregamento. Pilhas tem uma vida útil limitada, se por exemplo uma pilha tenha 500 ciclos, ao usá-la até 30% da carga e novamente recarregá-la, terá gasto um desses ciclos.

Então, carregar apenas após as pilhas estarem totalmente descarregadas apenas aumentará a vida útil delas, sem oferecer nenhum benefício ou malefício adicional.

Lembre-se que estamos falando sempre do uso de aparelhos regulados, aqueles que tem um chip de controle. Os mods mecânicos, aqueles que não possuem nenhum mecanismo de segurança, não entram nessas dicas, pois são aparelhos para usuários avançados.

Posso usar carregador de celular para carregar o vape?

Pode, mas CUIDADO!

Primeiro vamos entender que aquela caixinha que você coloca na tomada pra carregar o seu celular não é um “carregador” e sim apenas um “regulador de tensão”. Essa caixinha transforma 110V ou 220V da tomada em outra coisa, normalmente 5V, 9V ou 12V.

O carregador de verdade está dentro do aparelho que você está tentando carregar, é lá que existe um microchip que faz todo o trabalho de controlar a energia recebida, balancear, parar a carga quando está cheia, etc. Chamar a caixinha de carregador é compreensível já a usamos para carregar as coisas.

Além da tensão em VOLTS ela também possui um valor de AMPERES máximos, que varia normalmente entre 0.5A, 1A e até 2A, mas há outros valores possíveis.

O mais importante é saber que os vapes só trabalham com 5V e mais do que isso provavelmente vai queimar seu aparelho!

Então antes de usar, verifique no seu carregador se ele oferece mais do que 5V. Muitos carregadores chamados “turbo” oferecem 5V, 9V e até 12V. Esses não podem ser utilizados, pois é possível que eles enviem mais do que 5V, o que pode danificar seu vape!

Em relação aos amperes, é importante saber que eles não são empurrados, são puxados. Isso quer dizer que o aparelho só vai puxar os amperes que ele precisa, não importando se o carregador pode enviar 1 milhão de amperes.

Aqui o detalhe de segurança fica na questão do carregador em si. Se um vape carrega a 2A e o carregador pode enviar somente 1A, a caixinha vai estar sempre trabalhando no máximo e pode esquentar. É por isso que o recomendado é ter um bom carregador de no máximo 5V e preferencialmente 2A ou mais, assim ele vai trabalhar sempre abaixo do limite máximo, não vai esquentar e nem arriscar queimar, pois normalmente os vapes operam com no máximo 1A.

Posso carregar pela USB da TV ou do computador?

Sim, porém cuidado!

A vantagem de carregar na TV ou no computador é que as portas USB desses aparelhos operam sempre com somente 5V, portanto não oferecem risco de queima do vape. O risco fica por conta da qualidade dos componentes da TV ou do computador, para que estes não esquentem ou queimem. Computadores gamers e mais avançados vão dar conta do recado tranquilamente, mas TVs e computadores antigos, com fontes de baixa potência ou qualidade, podem oferecer problemas.

Não esqueça seu vape carregando por muito tempo nem o deixe desacompanhado

Essa dica vale também para celulares e qualquer outro dispositivo eletrônico. Chance de acidentes existem, componentes eletrônicos falham, descargas elétricas acontecem, fios na parede gastam e descascam, são muitas variáveis que podem gerar acidentes.

Se for usar seu vape para carregar, nunca mantenha-o muito próximo de você, mas também não deixe de monitorar seu carregamento e retire da tomada assim que ele finalizar a carga.

Isso também vale para o carregador externo. Quando terminar a carga das pilhas, não as deixe conectadas, mesmo com o aparelho desligado.

Posso recarregar meu pod descartável?

NÃO! JAMAIS! NUNCA!

Um dos maiores erros que vemos nas mídias sociais são pessoas ensinando como recarregar pods descartáveis. Como o próprio nome já diz, pods descartáveis são produtos para serem usados até o final de sua carga e depois jogados fora.

Como todo vape, são aparelhos eletrônicos com uma bateria interna, portanto é fisicamente possível abrir e recarregá-los, porém isso é extremamente perigoso já que possuem baterias que não foram feitas para serem recarregadas e podem causar acidentes, o que já aconteceu e foi coberto na mídia, com direito a fogo e faíscas, felizmente ninguém se machucou gravemente.

Existem alguns modelos de pods descartáveis que oferecem a possibilidade de carregamento, isso acontece porque possuem um reservatório de líquido que dura mais do que apenas uma carga da bateria, portanto para consumir o produto até o final, é preciso recarregá-los algumas vezes, porém devem ser descartados no momento em que se perceba que o líquido acabou.

Sempre carreguei no vape e nunca tive problemas

É comum vermos relatos nas mídias sociais dizendo “carrego no meu vape há tanto tempo e nunca tive problema” como se isso fosse amostragem de alguma coisa. Não é porque as pessoas fazem algo e não encontram problemas que isso acontecerá com todo mundo.

Existem relatos suficientes para provar que nossas dicas são importantes para você utilizar seu produto com mais segurança.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Outros artigos

Cientista é banido de conferência sobre cigarros eletrônicos por difamação de organização anti-vaping

O sociólogo norueguês Karl Erik Lund foi banido de uma conferência que ajudou a organizar por conta de acusações infundadas.

Procura-se morte por cigarros eletrônicos e paga-se bem

Que tal ganhar mais de 30 mil reais provando que os cigarros eletrônicos já provocaram alguma morte no mundo?

A ideia de que os sabores dos cigarros eletrônicos fisgam as crianças é simples, convincente – e falsa.

Cigarros eletrônicos com sabores são motivo de muito debate, mas em muitos casos acabamos por ter que usar o princípio da assimetria da besteira.

A lei brasileira sobre os cigarros eletrônicos e o panorama do país nos dias atuais

Conheça em detalhes a lei brasileira sobre cigarros eletrônicos e a situação geral do país em relação aos produtos.

Newsletter

- Receba notícias em seu email

- Não compartilhamos emails com terceiros

- Cancele quando quiser

Últimas notícias

Paulo Jubilut, biólogo famoso com mais de 2.5 milhões de inscritos no Youtube, divulga vídeo com fake news sobre o vape

Da quantidade de nicotina no vape e nos cigarros até Acetato de Vitamina E, o biólogo não fez a pesquisa necessária para tratar do tema.

Decisão da ANVISA sobre cigarros eletrônicos pode ser anulada pela câmara dos deputados

Ex-diretora Cristiane Jourdan é acusada de "politização do processo" e "revanchismo" na tentativa de manter o cargo.

Vape é oportunidade de colaboração entre indústria e governo para combater tabagismo

Estudos apontam que o cigarro eletrônico desempenha importante papel na redução de danos do tabaco, apoiando a prevenção de recaídas e crises de abstinência; caso da Nova Zelândia é considerado exemplar

Aumenta a certeza de que DEFs são mais eficazes para parar de fumar do que adesivos e gomas de mascar de nicotina

Conclusão foi da Biblioteca Cochrane, referência no mundo em revisão de pesquisas de saúde.

Vídeo mostra que falta de regulação do mercado vaping estimula trabalho infantil na China

O mercado não regulado de vaporizadores alimenta uma indústria ilegal que explora crianças.