Guia completo sobre segurança de pilhas

Publicado:

Tempo de leitura: 9 minutos

Este é provavelmente o artigo mais importante do site relativo à segurança para quem usa um vaporizador, pois estão nas pilhas as maiores causas de acidentes. Artigos na mídia que contam histórias de explosões, na maioria das vezes, falham em explicar que a culpa, quase sempre, recai nas pilhas e normalmente por erro do usuário e não de fábrica.

Um resumo dos principais pontos

  • Só use pilhas recomendadas (consulte a lista neste artigo);
  • Cuidado com falsificações, são muito comuns;
  • Pilhas de notebook, lanterna ou qualquer outra que não as recomendadas por este artigo não servem, essa é a maior chance de dar problemas;
  • Na dúvida se suas pilhas são boas, evite utilizar potências muito altas. Aparelhos com uma pilha normalmente tem potência máxima de 80W, com duas pilhas atingem até 200W e com três até 250W (números aproximados). Sem ter certeza da qualidade das pilhas e caso realmente precise utilizá-las, limite-se a metade da potência máxima do aparelho ou menos;
  • Compre um carregador externo e só carregue as pilhas por ele, principalmente se o seu vaporizador usar duas pilhas ou mais;
  • Se o seu vaporizador utilizar duas pilhas, use-as sempre juntas. Isso se chama “pareamento” de pilhas e é muito importante para evitar acidentes;
  • Se as pilhas esquentam muito durante o uso, jogue-as fora ou no máximo utilize-as na menor potência possível;
  • Jamais deixe as pilhas soltas com objetos de metal, em bolsas ou bolsos, pois elas podem gerar um curto, esquentar, derreter e até explodir;
  • Mantenha as pilhas bem cuidadas, sem rasgos ou descascados na proteção. Se cair e amassar, jogue fora em local adequado;
  • Se o seu aparelho usa 2 ou mais pilhas, utilize apenas modelos iguais, da mesma marca, modelo e capacidade, jamais misture pilhas diferentes;

As pilhas usadas no vaping

Vaporizadores são aparelhos eletrônicos que precisam de uma fonte de energia de alta descarga de corrente para poder funcionar em potências que permitam a vaporização dos líquidos consumidos. Para atingir esse objetivo, foram adaptadas pilhas de diversos tamanhos, mas que não foram feitas para ser manuseadas diretamente pelos usuários.

Essas pilhas são normalmente usadas dentro de baterias de notebooks, power banks ou até nos carros elétricos, que possuem circuitos de proteção e estão isoladas.

Mas nos vaporizadores, o consumidor manuseia a pilha diretamente, sendo responsável pelo uso correto para evitar acidentes.

Outro ponto importante é que existem pilhas excelentes que são feitas para lanternas e outros produtos, cujos modelos e tamanhos são os mesmos das usadas nos vaporizadores, porém são pilhas que podem não ter as capacidades técnicas necessárias para utilizá-las com segurança no vaping, criando a possibilidade de acidentes.

As principais características das pilhas

  1. Tamanho e formato: a pilha deve ter o tamanho correto para caber no aparelho. Hoje a maioria dos produtos utiliza o modelo 18650 (18 milímetros de largura com 65 milímetros de altura, o zero significa o formato redondo), mas temos dispositivos que usam pilhas de tamanhos diversos, maiores ou menores, como 18350, 20700 e 21700;
  2. Capacidade: medida em “mAh” que significa “miliampere-hora”, determina a carga máxima, que se traduz no tempo de alimentação do aparelho para mantê-lo funcionando;
  3. Corrente máxima: a principal característica de segurança, significa quanta energia uma pilha consegue entregar sem comprometer sua integridade física. É medida em A de ampere.

Ainda temos a tensão elétrica, comumente chamada de “voltagem”, mas ela é uma magnitude física e não uma característica das pilhas, portanto todas vão trabalhar com os mesmos valores: o mínimo, o nominal e o máximo. Normalmente carregam até 4.2V, possuem carga nominal de 3.6V e abaixo disso são consideradas pelo dispositivo como “esgotadas”. Abaixo dos 2.5V normalmente já começam a deteriorar e podem apresentar problemas físicos internos, não sendo mais seguras, abaixo dos 2.0V há certeza de danos e a pilha deve ser descartada mesmo que você consiga carregá-la novamente.

É importante lembrar que essa descarga abaixo dos valores nominais só ocorre quando as pilhas são usadas em aparelhos chamados “não regulados” ou “mecânicos”, que não possuem nenhum sistema de proteção, são pouco comuns no mercado e só indicados para consumidores experientes.

Vaporizadores podem explodir?

Não, vaporizadores não explodem, assim como celulares, carros ou usinas nucleares. O que explode são as pilhas, tanques de gasolina e reatores, o que explode é a “fonte de energia” que por natureza é volátil e precisa de cuidados com a segurança.

Há uma necessidade de mudar o foco do problema, pois constantemente essa culpa acaba se alastrando em manchetes que dizem “Cigarros eletrônicos são perigosos porque podem explodir”.

Nos vaporizadores você é responsável pela escolha da pilha e sua manutenção. Isso abre a possibilidade de utilização de produtos de má qualidade ou sem as características necessárias, forçando-as além de seus limites ao tentar fazer as mais básicas tarefas que uma pilha indicada poderia fazer tranquilamente.

Problemas de fábrica são raríssimos e o cuidado na manutenção das pilhas é tão importante quanto sua correta escolha.

Pilhas recomendadas

Pilhas não são fáceis de se fabricar, pois é preciso possuir uma estrutura industrial considerável e um conhecimento técnico que poucas empresas são capazes de ter, portanto existem apenas alguns fabricantes no mundo, sendo algumas a Panasonic, Molicel, Sony, Samsung, Sanyo, LG e Hitachi.

É possível encontrar algumas marcas no mercado como Efest, AWT, Nitecore, etc, que não são fabricantes, mas meros atravessadores, cujos produtos são chamados de “re-wraps” (reencapadas). Estas são compradas de uma das fabricantes e vendidas por essa marca com uma capa de proteção própria. 

Nestes casos a sugestão é evitá-las, pois não há necessidade de ter intermediários no processo. Ao mesmo tempo que pode se tratar de uma pilha de qualidade, selecionada pelo revendedor, pode ser também originada de refugo ou de pilhas descartadas pela fabricante.

Também evite qualquer pilha com uma quantidade muito grande de mAh (capacidade em miliamperes) pois são produtos para lanternas. As pilhas recomendadas para o vaping possuem no máximo 3.500 mAh, portanto não utilize pilhas com 5.000 mAh, 8.000 mAh ou mais.

Lembrando que as pilhas indicadas abaixo levam em conta o uso de aparelhos regulados e não os chamados “mods mecânicos” ou “não regulados”, que não serão tratados neste artigo, para isso temos conteúdo específico que apresenta mais detalhes.

Tamanho: 18650, 20700 e 21700
Modelos: Molicel P28A, Samsung 20S, LG HJ2, LG HG2, Samsung 30Q, Sony VTC5A,

As listas acima são meras sugestões, criadas por testes realizados pelo consumidor entusiasta “Mooch”, um especialista no assunto e que se tornou referência no mercado.

Mooch trabalha há mais de 30 anos com pilhas de todos os tipos para a indústria fotográfica, com experiência com a Kodak, Exército Americano, National Geographic, Sports Illustrated e muitas outras grandes empresas. Com a transição dos fios para a tecnologia wireless, as pilhas se tornaram primordiais para o seu trabalho e ele se especializou neste nicho, portanto grande parte do que ele faz consiste em criar soluções de pilhas que durem mais, sejam mais potentes e principalmente seguras.

Por ser também um consumidor de vaporizadores, acabou aplicando esse conhecimento ao seu hobby e passou a testar as pilhas e realizar testes de segurança. Confira o seu blog neste link.

Utilizando as pilhas com segurança

Para usar as pilhas com segurança, é preciso estar dentro de suas especificações técnicas. Nas listas acima, cada pilha possui uma corrente máxima contínua medida em A de amperes. Ao acionar um vaporizador, modelos com tela informam o valor de amperes exigidos durante o uso. É preciso estar dentro desse valor para garantir a segurança.

Tomando como exemplo a pilha Molicel P28A da lista acima, considerada a melhor em todos os quesitos, é possível utilizá-la até 30A em 90W. Note a segurança em usar esse modelo já que aparelhos com somente uma pilha não ultrapassam 80W de potência.

Mas com a tecnologia dos aparelhos de hoje, é bastante improvável que um consumidor médio vá conseguir ultrapassar as características técnicas de segurança, mesmo assim é preciso estar atento aos motivos que geram acidentes, a fim de evitá-los.

Os principais motivos de acidentes

Produtos de má qualidade

Os modelos indicados possuem as características necessárias que os aparelhos vão exigir. Mas isso também depende da originalidade do produto. Jamais use pilhas compradas em camelôs, para lanternas, de marcas desconhecidas ou sem marca. Tenha certeza da procedência das pilhas para evitar falsificações. Se o preço for barato demais, a chance de ser falsa é grande.

Uma dica é pesar as pilhas. Produtos originais possuem em média 40g a 45g, enquanto as falsificações são bem mais leves, pois muitas vezes os falsificadores simplesmente colocam uma célula menor dentro da carcaça da pilha e preenchem com areia.

Carregar ou descarregar pilhas além do limite

Os vaporizadores mais modernos possuem proteções contra este tipo de problema, apesar disso indicamos a compra de um carregador apropriado, preferencialmente que informe as medições enquanto está carregando (com telas de LCD).

Muitos fabricantes dizem que os aparelhos podem carregar as pilhas e vários consumidores lhe dirão que não há problema em carregar no próprio vaporizador, mas isso não é correto. A realidade é que acidentes ocorrem com maior frequência quando carrega-se diretamente pelo produto do que através de um carregador exclusivo e especialmente feito para isso.

Não compre carregadores chineses ou de marcas desconhecidas, indicamos as marcas Efest, Nitecore e Fênix. 

Temos um artigo completo que trata desse assunto.

Deixar pilhas soltas em bolsos e bolsas ou expostas ao calor

Pilhas soltas em bolsos, bolsas, mochilas, etc, caso entrem em contato com metais, vão fechar circuito e causar curto, podendo gerar explosões. Além disso, nunca deixe seu aparelho ou as pilhas em locais quentes como dentro do carro exposto ao sol.

Falta de manutenção

As pilhas possuem uma proteção de plástico que atua como isolante, evitando curtos e explosões. O pólo positivo e o negativo ficam nas extremidades e são as únicas coisas que devem estar expostas.

Mantenha as pilhas bem cuidadas, sem rasgos ou descascados na proteção. Se cair e amassar, jogue fora em local adequado. Com o tempo, à medida que as pilhas são inseridas e retiradas dos aparelhos, a tendência é que a proteção descasque, tenha pequenos rasgos e até acabe saindo. Isso vai exigir que você faça a troca dessa proteção, temos um artigo que ensina como fazer isso.

Danos causados por quedas

Quedas podem gerar amassados que comprometem a integridade física da pilha e a torna sujeita a problemas. Jamais perfure e ao menor sinal de aquecimento ou vazamento de líquido, coloque a pilha em um local isolado e deixe por várias horas para se certificar que não haverá vazamento ou explosão. Após esse período, descarte-a em local apropriado, existem pontos de coleta para esse tipo de material, como farmácias e supermercados.

Usar pilhas falsas

O comércio de pilhas falsificadas é muito lucrativo, portanto certifique-se da procedência dos produtos. Evite camelôs e tenha cuidado com lojas online ou portais de venda de produtos como Mercado Livre e OLX.

Pareamento ou casamento de pilhas

Para aparelhos que usam 2 ou mais pilhas é preciso realizar o “pareamento” ou “casamento” das pilhas. Isso significa usá-las sempre juntas, inclusive no carregamento.

O ideal é que sejam idênticas, de mesma marca, modelo, capacidade e especificações técnicas, preferencialmente do mesmo lote, o mais próximo possível de gêmeas perfeitas. Nunca utilize pilhas de modelos ou marcas diferentes juntas.

Elas precisam permanecer pareadas por toda a sua vida útil, sendo carregadas e descarregadas ao mesmo tempo. Também é indicado trocar as posições das pilhas a cada nova utilização (direita/esquerda, esquerda/direita), inclusive no carregador.

O motivo é simples, ao longo do tempo as pilhas sofrem desgaste natural, porém aquela localizada na primeira posição do circuito sempre é mais exigida do que as outras.

Para diminuir essa diferença é necessário um rodízio, tanto ao usá-las quanto ao carregá-las. Se você não controlar essa carga/descarga uma delas terá um desgaste maior que a outra, o que irá gerar um stress compensatório e pode causar acidentes.

Dicas para facilitar o pareamento

  • Compre pilhas novas, de mesma marca, modelos e especificações técnicas como capacidade em mAh e sempre com descarga contínua de pelo menos 20A;
  • Verifique a tensão, caso não tenha um carregador que informe isso, use um multímetro e faça a medição tanto na saída do aparelho quanto na do carregador;
  • Para facilitar o rodízio, marque as pilhas com números (1 e 2) ou letras (A e B);
  • As pilhas devem possuir sempre a mesma tensão em volts. Para que elas sejam consideradas fora de pareamento a diferença deve ser acima de 0.2V a 0.3V;
  • Carregadores de 4 pilhas ou mais possuem canais diferentes de carregamento, isso significa que cada baia pode possuir um par que não fica localizado diretamente ao seu lado. Exemplo: A baia número 1 pode fazer par com a baia 3 e a baia 2 com a baia 4. Cada carregador é diferente, portanto consulte o manual para saber onde colocar suas pilhas para ter o pareamento perfeito;

Conclusão

Os vaporizadores atuais oferecem muitos mecanismos de segurança e basta uma manutenção preventiva e cuidado no uso para garantir tranquilidade.

Mas ainda assim é preciso conhecer as noções básicas de funcionamento dos produtos para ter certeza que você estará seguro e protegido de acidentes.

Infelizmente muitas pessoas não se informam adequadamente ao utilizar um vaporizador pela primeira vez o que aumenta a chance de problemas. Fogões, microondas, ferros de passar roupa e liquidificadores, são aparelhos que sabemos usar porque fomos criados com eles, portanto teoricamente inofensivos, mas que representam sérios riscos aos consumidores quando mal utilizados.

Os vaporizadores são tão seguros quanto qualquer aparelho eletrônico, funcionam como método antitabagista e já livraram milhões de pessoas do cigarro quando nada mais adiantou, mas é preciso se informar antes de utilizar um.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Outros artigos

Cientista é banido de conferência sobre cigarros eletrônicos por difamação de organização anti-vaping

O sociólogo norueguês Karl Erik Lund foi banido de uma conferência que ajudou a organizar por conta de acusações infundadas.

Procura-se morte por cigarros eletrônicos e paga-se bem

Que tal ganhar mais de 30 mil reais provando que os cigarros eletrônicos já provocaram alguma morte no mundo?

A ideia de que os sabores dos cigarros eletrônicos fisgam as crianças é simples, convincente – e falsa.

Cigarros eletrônicos com sabores são motivo de muito debate, mas em muitos casos acabamos por ter que usar o princípio da assimetria da besteira.

A lei brasileira sobre os cigarros eletrônicos e o panorama do país nos dias atuais

Conheça em detalhes a lei brasileira sobre cigarros eletrônicos e a situação geral do país em relação aos produtos.

Newsletter

- Receba notícias em seu email

- Não compartilhamos emails com terceiros

- Cancele quando quiser

Últimas notícias

Paulo Jubilut, biólogo famoso com mais de 2.5 milhões de inscritos no Youtube, divulga vídeo com fake news sobre o vape

Da quantidade de nicotina no vape e nos cigarros até Acetato de Vitamina E, o biólogo não fez a pesquisa necessária para tratar do tema.

Decisão da ANVISA sobre cigarros eletrônicos pode ser anulada pela câmara dos deputados

Ex-diretora Cristiane Jourdan é acusada de "politização do processo" e "revanchismo" na tentativa de manter o cargo.

Vape é oportunidade de colaboração entre indústria e governo para combater tabagismo

Estudos apontam que o cigarro eletrônico desempenha importante papel na redução de danos do tabaco, apoiando a prevenção de recaídas e crises de abstinência; caso da Nova Zelândia é considerado exemplar

Aumenta a certeza de que DEFs são mais eficazes para parar de fumar do que adesivos e gomas de mascar de nicotina

Conclusão foi da Biblioteca Cochrane, referência no mundo em revisão de pesquisas de saúde.

Vídeo mostra que falta de regulação do mercado vaping estimula trabalho infantil na China

O mercado não regulado de vaporizadores alimenta uma indústria ilegal que explora crianças.