Odysee

Governo proíbe 33 empresas de vender cigarros eletrônicos

Publicado:

Tempo de leitura: 2 minutos

A comercialização de cigarros eletrônicos no Brasil é proibida desde 2009 pela RDC 46 da ANVISA, porém a medida já se mostrou ineficaz por não impedir que um grande comércio ilegal fosse estabelecido no país, com os produtos sendo oferecidos em larga escala por lojas especializadas, tabacarias, casas de shows, postos de gasolina e até grandes magazines como EXTRA e Carrefour, mas também aparece em pequenas lojas em cidades do interior.

Na Quinta-feira dia 01 de Setembro, o Ministério da Justiça e Segurança Pública, através da Secretaria Nacional do Consumidor (SENACON) determinou que 33 empresas em todo o país suspendam a venda de cigarros eletrônicos.

A notificação foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) e as empresas foram intimadas a cumprir a medida cautelar em até 48 horas, caso contrário serão obrigadas a pagar multa diária de R$ 5 mil até que cessem a prática.

A lista traz desde lojas online especializadas na venda dos produtos até grandes magazines ou plataformas de comércio virtual como EXTRA, Carrefour, OLX e Enjoei.

É curioso identificar que também há a presença de micro empresas como uma LAN house e lanchonete, localizada na cidade de Caetité, no interior da Bahia, com pouco mais de 50 mil habitantes. Não foi divulgado o critério utilizado para selecionar tais empresas, mas se há um indício que a lista mostra, é de que o comércio dos produtos está alastrado por todo o país.

A ANVISA continua com seu processo regulatório acerca dos cigarros eletrônicos e ainda não decidiu oficialmente se vai manter a proibição do comércio ou se haverá mudanças na legislação. Muitos países como a Inglaterra, Canadá, Nova Zelândia e outros optaram por regulamentar a venda dos vaporizadores e com isso controlar o mercado e impedir problemas como a venda para menores, consumo por não fumantes e marketing voltado a jovens.

No entanto, é observado que países que escolheram a proibição ou não definiram regras claras sobre o comércio dos produtos tem enfrentado grandes dificuldades, oferecendo maiores riscos para a saúde pública.

Confira nossa cobertura em vídeo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Notícias relacionadas

Tipos de vaporizadores

Conheça os tipos de aparelhos disponíveis no mercado e suas diferenças.

Primeiro uso de um vaporizador

Dicas para novatos que estão começando a usar vaporizadores.

Como preservar líquidos para vaporizadores

Saiba como evitar erros comuns que podem prejudicar seus produtos e como preservá-los por mais tempo.

21 e 22 de Setembro – 5ª Cúpula Científica sobre Redução de Danos do Tabaco

Brasil participa de evento que reúne especialistas do mundo todo para discutir sobre Redução dos Danos do Tabagismo.

‘Baseado mais em emoção do que ciência’: STEVE FORBES detona a ideologia contra o vaping

Editor-chefe da FORBES, um dos mais importantes veículos de mídia do mundo, fala sobre o vaping.

Algo está muito errado com a Organização Mundial da Saúde

A recusa de uma vacina eficaz para COVID pela fabricante ter laços com a indústria tabagista.

Newsletter

- Receba notícias em seu email

- Não compartilhamos emails com terceiros

- Cancele quando quiser

Últimas notícias

Algo está muito errado com a Organização Mundial da Saúde

A recusa de uma vacina eficaz para COVID pela fabricante ter laços com a indústria tabagista.

Revisão científica de pesquisas sobre metais inalados nos cigarros eletrônicos

Desde 2017 todos os estudos sobre metais no vaping possuem falhas de metodologia.

Médicos continuam divulgando desinformação sobre os cigarros eletrônicos

A divulgação de falácias e informações tendenciosas sobre vaporizadores tornou-se comum na mídia

Redução de danos também é importante para combater o tabagismo

Estudos apontam o quanto dispositivos eletrônicos podem reduzir danos da queima do tabaco.

No Reino Unido, vaporizadores salvaram quase 60.000% mais vidas do que cintos de segurança

Nenhum outro produto mostra um potencial para salvar vidas maior do que os cigarros eletrônicos.

O debate feroz sobre a proibição (e desbanimento) dos cigarros eletrônicos

Artigo do Boston Globe assinado pelo jornalistas e diretor do Programa de Pós-Graduação em Redação Científica do MIT.

Cigarros eletrônicos possuem mais de 8.000 pesquisas científicas publicadas

Argumento de que "não há estudos suficientes" sobre cigarros eletrônicos parece não ser válido.

Incoerência da proibição dos vapes no Brasil

Especialista em Direito Regulatório trata sobre a proibição do comércio de cigarros eletrônicos no Brasil.