Análise do CDC conclui que o vapor dos cigarros eletrônicos não oferece riscos a terceiros

Publicado:

Tempo de leitura: 2 minutos

Um relatório divulgado pelo Governo Americano analisou o ar presente em uma Vape Shop (loja especializada na venda de cigarros eletrônicos), onde o uso dos produtos é permitido em ambiente fechado e cuja frequência e volume de uso são consideráveis, e concluiu que os níveis de potenciais substâncias tóxicas foram irrelevantes e comparáveis ao ar livre.

O órgão americano responsável pela segurança na saúde (NIOSH) divulgou, neste mês de julho de 2017, o relatório chamado “Avaliação da Exposição Química em um Vape Shop”, de uma série de análises realizadas em Janeiro de 2016. O vape shop fiscalizado não foi identificado.

NIOSH é uma subdivisão do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), uma agência do Departamento de Saúde americano. Sua missão é “Desenvolver novos conhecimentos no campo da saúde ocupacional e transferir esse conhecimento para a prática.” A agência ainda afirma que “todo homem e mulher na nação americana deve ter condições de segurança e saúde no trabalho, para preservar nossos recursos humanos”.

O que eles estavam procurando no ar?

Segundo o relatório, a agência realizou as análises à pedido do dono do estabelecimento. Essas análises foram feitas com o objetivo principal de avaliar o potencial risco de exposição dos funcionários aos químicos relacionados ao uso dos cigarros eletrônicos no ambiente interno.

“Nosso trabalho envolveu: (1) coletar amostras específicas de químicos de essências alimentícias presentes no ar que são relacionados a doenças respiratórias; (2) amostras do ar para detectar: nicotina, propileno glicol, formol, e outros compostos orgânicos voláteis; (3) coletas nas superfícies das bancadas de trabalho para detectar metais pesados e nicotina; e (4) observar as práticas de trabalho.”

A loja tem aproximadamente 300 metros quadrados, dez funcionários e funciona apenas durante o dia.

Os fiscais coletaram amostras de ar em diferentes espaços, testando a presença de Diacetyl, Acetil Propionil, Acetonina, Acetil buritil, Etanol e Formol, todas substâncias potencialmente tóxicas. Eles também procuravam pelos níveis de nicotina, Propilenoglicol e compostos orgânicos voláteis no ar.

O que foi encontrado?

Todas as amostras de ar resultaram em valores muito abaixo dos limites tolerados.

O resultado das amostras de ar que foram coletadas durante um dia inteiro de trabalho, no lounge, na área de vendas e manipulação de juices, através de tubos de sílica estão apresentados na Tabela 3. Diacetil, Acetil Propionil, Acetil Buritil e Acetonina não foram detectadas no lounge. Nas amostras de ar coletadas na área de manipulação de líquidos, foi detectado Acetil Propionil, mas foi impossível quantificar, pela quantidade ser tão pequena. Não detectamos nenhuma concentração de nenhum outro químico nas amostras

Formol foi encontrado em duas das oitos amostras coletadas, abaixo da metade do limite recomendado pela própria agência. Os outros químicos analisados foram muito abaixo ou em níveis impossíveis de quantificar. “Concentrações muito baixas de formol existem em todos os ambientes fechados proveniente da pintura dos móveis, das roupas e de outros materiais comuns de uso cotidiano” explica o relatório.

Vários outros compostos foram detectados em níveis extremamente baixos, sendo difícil de quantificar. Nicotina, compostos orgânicos, cálcio, cobre, ferro e potássio, além de cromo, magnésio, nickel, fósforo, estrôncio e telúrio.

“Alguns dos elementos que detectamos são encontradas no suor humano (cálcio, potássio, magnésio e fósforo)” afirma o relatório, o que pode justificar sua presença.

Todas as outras análises de químicos relacionados ao vapor que foram detectadas estão muito abaixo dos níveis permitidos, sendo irrelevantes

Esse relatório é uma grande evidência de que o vapor exalado pelos consumidores de cigarros eletrônicos não oferecem riscos a terceiros, o que poderia ser considerado como um “fumante passivo”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Outros artigos

Cientista é banido de conferência sobre cigarros eletrônicos por difamação de organização anti-vaping

O sociólogo norueguês Karl Erik Lund foi banido de uma conferência que ajudou a organizar por conta de acusações infundadas.

Procura-se morte por cigarros eletrônicos e paga-se bem

Que tal ganhar mais de 30 mil reais provando que os cigarros eletrônicos já provocaram alguma morte no mundo?

A ideia de que os sabores dos cigarros eletrônicos fisgam as crianças é simples, convincente – e falsa.

Cigarros eletrônicos com sabores são motivo de muito debate, mas em muitos casos acabamos por ter que usar o princípio da assimetria da besteira.

A lei brasileira sobre os cigarros eletrônicos e o panorama do país nos dias atuais

Conheça em detalhes a lei brasileira sobre cigarros eletrônicos e a situação geral do país em relação aos produtos.

Newsletter

- Receba notícias em seu email

- Não compartilhamos emails com terceiros

- Cancele quando quiser

Últimas notícias

Paulo Jubilut, biólogo famoso com mais de 2.5 milhões de inscritos no Youtube, divulga vídeo com fake news sobre o vape

Da quantidade de nicotina no vape e nos cigarros até Acetato de Vitamina E, o biólogo não fez a pesquisa necessária para tratar do tema.

Decisão da ANVISA sobre cigarros eletrônicos pode ser anulada pela câmara dos deputados

Ex-diretora Cristiane Jourdan é acusada de "politização do processo" e "revanchismo" na tentativa de manter o cargo.

Vape é oportunidade de colaboração entre indústria e governo para combater tabagismo

Estudos apontam que o cigarro eletrônico desempenha importante papel na redução de danos do tabaco, apoiando a prevenção de recaídas e crises de abstinência; caso da Nova Zelândia é considerado exemplar

Aumenta a certeza de que DEFs são mais eficazes para parar de fumar do que adesivos e gomas de mascar de nicotina

Conclusão foi da Biblioteca Cochrane, referência no mundo em revisão de pesquisas de saúde.

Vídeo mostra que falta de regulação do mercado vaping estimula trabalho infantil na China

O mercado não regulado de vaporizadores alimenta uma indústria ilegal que explora crianças.