Os fumantes atuais e ex-fumantes que usam DEFs diariamente versus semanalmente diferem em suas razões para vaporizar? Conclusões da pesquisa ITC Four Country Smoking and Vaping 2020.

Publicado:

Tempo de leitura: 3 minutos

Trabalho de Gravely S, Yong HH, Reid JL, East KA, Gartner CE, Levy DT, Cummings KM, Borland R, Quah ACK, Bansal-Travers M, Ouimet J, Fong GT.

Artigo original: https://www.mdpi.com/1660-4601/19/21/14130

Descobrimos que tanto os fumantes atuais quanto os ex-fumantes endossaram uma média de seis motivos para vaporizar, com aqueles que vaporizam diariamente relatando significativamente mais motivos do que aqueles que vaporizam semanalmente. O motivo mais comum para vaping entre os fumantes atuais foi reduzir o tabagismo (81,3%). Quase todos relataram vaping para ajudar a ficar abstinente de fumar (92,3%)”

Abstrato

Este estudo examinou as razões pelas quais os adultos que fumam ou fumaram cigarros anteriormente usam produtos de vaporização de nicotina (NVPs) por frequência de vaporização (diária versus semanal) estratificada pelo status de fumante. Este estudo transversal incluiu 3.070 adultos da pesquisa ITC Four Country Smoking and Vaping 2020 (Austrália, Canadá, Inglaterra, Estados Unidos) que relataram usar um NVP (vaping) pelo menos semanalmente e que atualmente fumam ( n = 2.467) ou anteriormente fumado ( n= 603). Os entrevistados foram solicitados a selecionar o(s) motivo(s) pelo qual usam NVPs, inclusive para controlar o tabagismo (reduzir/parar ou permanecer parado) e/ou por motivos não relacionados ao controle do tabagismo (por exemplo, para economizar dinheiro, prazer, sabores). Descobrimos que tanto os fumantes atuais quanto os ex-fumantes endossaram uma média de seis motivos para vaporizar, com aqueles que vaporizam diariamente relatando significativamente mais motivos do que aqueles que vaporizam semanalmente. Entre os fumantes atuais, 72,8% relataram que vaporizar pode ajudá-los a parar de fumar, 13,0% relataram vaporizar para reduzir o tabagismo, mas não para parar, e 14,2% relataram vaporizar apenas por outras razões que não para reduzir ou parar de fumar. O motivo mais comum para vaping entre os fumantes atuais foi reduzir o tabagismo (81,3%). Os fumantes atuais que vaporizam diariamente foram significativamente mais propensos do que aqueles que vaporizam semanalmente a relatar o uso de um NVP para reduzir o tabagismo, por prazer, para reduzir os danos a si mesmos e aos outros, parar de fumar, sabores agradáveis ​​e economizar dinheiro. O motivo mais comum citado para vaping pelos entrevistados que fumavam anteriormente era o prazer, com aqueles que fumavam diariamente mais propensos do que aqueles que fumavam semanalmente a relatar que fumavam por prazer e para reduzir os danos a si mesmos. Quase todos relataram vaping para ajudar a ficar abstinente de fumar (92,3%), sem diferença significativa pela frequência de vaporização. Em conclusão, a maioria dos entrevistados relatou usar NVPs para controlar o tabagismo (reduzir/parar de fumar ou permanecer parado), principalmente aqueles que fumam diariamente. Aqueles que fumavam diariamente também endossaram um número maior de razões além de controlar o fumo em relação aos que fumavam semanalmente. O motivo mais comum citado para vaping pelos entrevistados que fumavam anteriormente era o prazer, com aqueles que fumavam diariamente mais propensos do que aqueles que fumavam semanalmente a relatar que fumavam por prazer e para reduzir os danos a si mesmos. Quase todos relataram vaping para ajudar a ficar abstinente de fumar (92,3%), sem diferença significativa pela frequência de vaporização. Em conclusão, a maioria dos entrevistados relatou usar NVPs para controlar o tabagismo (reduzir/parar de fumar ou permanecer parado), principalmente aqueles que fumam diariamente. Aqueles que fumavam diariamente também endossaram um número maior de razões além de controlar o fumo em relação aos que fumavam semanalmente. O motivo mais comum citado para vaping pelos entrevistados que fumavam anteriormente era o prazer, com aqueles que fumavam diariamente mais propensos do que aqueles que fumavam semanalmente a relatar que fumavam por prazer e para reduzir os danos a si mesmos. Quase todos relataram vaping para ajudar a ficar abstinente de fumar (92,3%), sem diferença significativa pela frequência de vaporização. Em conclusão, a maioria dos entrevistados relatou usar NVPs para controlar o tabagismo (reduzir/parar de fumar ou permanecer parado), principalmente aqueles que fumam diariamente. Aqueles que fumavam diariamente também endossaram um número maior de razões além de controlar o fumo em relação aos que fumavam semanalmente. Quase todos relataram vaping para ajudar a ficar abstinente de fumar (92,3%), sem diferença significativa pela frequência de vaporização. Em conclusão, a maioria dos entrevistados relatou usar NVPs para controlar o tabagismo (reduzir/parar de fumar ou permanecer parado), principalmente aqueles que fumam diariamente. Aqueles que fumavam diariamente também endossaram um número maior de razões além de controlar o fumo em relação aos que fumavam semanalmente. Quase todos relataram vaping para ajudar a ficar abstinente de fumar (92,3%), sem diferença significativa pela frequência de vaporização. Em conclusão, a maioria dos entrevistados relatou usar NVPs para controlar o tabagismo (reduzir/parar de fumar ou permanecer parado), principalmente aqueles que fumam diariamente. Aqueles que fumavam diariamente também endossaram um número maior de razões além de controlar o fumo em relação aos que fumavam semanalmente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Outros artigos

Cientista é banido de conferência sobre cigarros eletrônicos por difamação de organização anti-vaping

O sociólogo norueguês Karl Erik Lund foi banido de uma conferência que ajudou a organizar por conta de acusações infundadas.

Procura-se morte por cigarros eletrônicos e paga-se bem

Que tal ganhar mais de 30 mil reais provando que os cigarros eletrônicos já provocaram alguma morte no mundo?

A ideia de que os sabores dos cigarros eletrônicos fisgam as crianças é simples, convincente – e falsa.

Cigarros eletrônicos com sabores são motivo de muito debate, mas em muitos casos acabamos por ter que usar o princípio da assimetria da besteira.

A lei brasileira sobre os cigarros eletrônicos e o panorama do país nos dias atuais

Conheça em detalhes a lei brasileira sobre cigarros eletrônicos e a situação geral do país em relação aos produtos.

Newsletter

- Receba notícias em seu email

- Não compartilhamos emails com terceiros

- Cancele quando quiser

Últimas notícias

Paulo Jubilut, biólogo famoso com mais de 2.5 milhões de inscritos no Youtube, divulga vídeo com fake news sobre o vape

Da quantidade de nicotina no vape e nos cigarros até Acetato de Vitamina E, o biólogo não fez a pesquisa necessária para tratar do tema.

Decisão da ANVISA sobre cigarros eletrônicos pode ser anulada pela câmara dos deputados

Ex-diretora Cristiane Jourdan é acusada de "politização do processo" e "revanchismo" na tentativa de manter o cargo.

Vape é oportunidade de colaboração entre indústria e governo para combater tabagismo

Estudos apontam que o cigarro eletrônico desempenha importante papel na redução de danos do tabaco, apoiando a prevenção de recaídas e crises de abstinência; caso da Nova Zelândia é considerado exemplar

Aumenta a certeza de que DEFs são mais eficazes para parar de fumar do que adesivos e gomas de mascar de nicotina

Conclusão foi da Biblioteca Cochrane, referência no mundo em revisão de pesquisas de saúde.

Vídeo mostra que falta de regulação do mercado vaping estimula trabalho infantil na China

O mercado não regulado de vaporizadores alimenta uma indústria ilegal que explora crianças.