‘Baseado mais em emoção do que ciência’: STEVE FORBES detona a ideologia contra o vaping

Publicado:

Tempo de leitura: 3 minutos

Malcolm Stevenson Forbes Jr. é um editor executivo e político americano, editor-chefe da Forbes, uma das mais importantes revistas de negócios do mundo. Ele é filho do antigo editor da Forbes, Malcolm Forbes, e neto do fundador da publicação, BC Forbes.

Em seu Podcast “O que vem por aí”, que apresenta semanalmente a visão do editor no que envolve os principais noticiários, políticos e pioneiros do mundo em negócios e economia em conversas honestas destinadas a desafiar as formas tradicionais de pensar, o editor apresenta sua visão sobre a guerra ideológica travada contra os cigarros eletrônicos nos EUA, o que também acontece no Brasil.

Confira o vídeo abaixo e a transcrição de sua fala.

A ininterrupta guerra mortal anti-vaping sendo travada pelo FDA baseia-se mais em emoção do que ciência

Olá, sou Steve Forbes e é esse é “O que ver por aí” onde você obtém as informações necessárias para navegar melhor nesses tempos turbulentos.

Ao ouvir a maioria das autoridades de saúde pública, lideradas pelo FDA, você deve achar que o vaping é tão mortal quanto fumar cigarros, o que certamente enganou o público com essa falsidade letal. 64% dos americanos acham que usar cigarros eletrônicos é tão ruim ou até pior do que fumar cigarros de tabaco

A realidade é o oposto.

A única coisa que os cigarros eletrônicos têm em comum com os cigarros normais é inalar nicotina, essa substância é viciante, mas não letal.

O que torna os cigarros de tabaco tão mortais são todas as outras substâncias, especialmente alcatrão e monóxido de carbono. Os cigarros eletrônicos não têm alcatrão. A maioria dos usuários de cigarros eletrônicos tem o mesmo prazer que inalar tabaco sem esses perigos que ameaçam a vida.

Vaping é o mais ferramenta eficaz para deixar de fumar tabaco quase duas vezes mais eficaz do que produtos aprovados pela FDA, como adesivos de nicotina, chicletes e pastilhas, é por isso que as autoridades de saúde britânicas vem o vaping como uma ferramenta crítica para fazer com que as pessoas parem de fumar.

Outros países chegaram à mesma conclusão. As academias nacionais de ciência, engenharia e medicina dizem: “usar os cigarros eletrônicos para substituir os cigarros de tabaco de combustão reduz a exposição dos usuários a inúmeros tóxicos e cancerígenos presentes nos cigarros queimados.”

Apesar da evidência de que vaping é 95% mais seguro do que fumar, o FDA e outros continuam a fazer guerra contra os cigarros eletrônicos, colocando em risco a saúde, se não a vida, de milhões de fumantes que querem abandonar o hábito.

Sua justificativa é o enorme aumento de vaping entre adolescentes, dizem que é uma porta de entrada para cigarros comuns, qual é a sua evidência?

Nenhuma.

Na verdade pesquisas do Centro de Controle de Doenças (CDC) minou suas táticas de medo, entre 2011 e 2020 vaping entre estudantes do ensino médio passou de 1,5% para quase 20% mas o fumo de cigarros caiu de 15,8% para 4,6%, o uso geral de produtos com nicotina caiu.

Lembre-se que os cigarros de tabaco são muito mais perigosos do que vaping.

É claro que não se deve inalar nada nos pulmões, exceto oxigênio, mas no mundo real as pessoas se entregam a prazeres que as babás da saúde não aprovam. Mas existem diferenças reais entre essas indulgências, para autoridades de saúde equiparar vaping com inalação de fumaça de cigarro é flagrantemente falso e contraproducente.

Incansavelmente tentar proibir produtos de cigarro eletrônico aumentará o consumo de cigarros regulares. San Francisco em 2018 proibiu cigarros eletrônicos e o tabagismo entre adolescentes e adultos jovens aumentou.

O FDA sofreu recentes processos judiciais desfavoráveis em suas tentativas maliciosas de estrangular a indústria, mas não se engane, os implacáveis ​​mal concebidos e muitas vezes mal informados ataques contra vaping não cessarão. O acordo de vários estados com laboratórios JUUL sobre acusações de fazer marketing para consumidores menores de idade vão ser usados para atacar o vaping em geral.

Onde está a ciência quando vidas dependem dela?

Eu sou Steve Forbes obrigado por ouvir, envie seus comentários e sugestões, estou ansioso para estar com você breve novamente.

Outros artigos

Reino Unido proibirá vapes descartáveis, restringirá sabores e fará mais coisas estúpidas

O governo do Reino Unido decidiu que proibirá os vaporizadores descartáveis ​​e sugere que proibirá os sabores dos vaporizadores. Isto irá desencadear mais tabagismo, mais comércio ilícito e mais soluções alternativas.

9 fatos e mitos sobre o vaping de acordo com o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido

Menos prejudiciais do que fumar, ajudam contra o tabagismo, menos nicotina que os cigarros e outros fatos que o Brasil ignora sobre o vaping.

Mais um grande estudo confirma os benefícios dos cigarros eletrônicos

Um conjunto crescente de evidências mostra que os cigarros eletrônicos são muito mais seguros do que fumar e a ferramenta de cessação mais eficaz disponível.

FDA divulga dados de 2023 dos EUA com queda no tabagismo e no uso de vape adolescente após regulamentação

Tabagismo adolescente é o menor de todos os tempos e o consumo de cigarros eletrônicos continua caindo.

Colégio Real de Psiquiatras da Austrália e Nova Zelândia declara que vapes são alternativa mais segura do que o consumo de tabaco

Instituição declara que o vaping pode ser prescrito para pessoas adultas que fumam como forma de tratamento contra o tabagismo.

4 milhões de brasileiros já usaram cigarro eletrônico no Brasil e a maioria vê propaganda na TV

O relatório Covitel 2023 coletou informações de 9 mil pessoas, com 18 anos ou mais, entre janeiro e abril de 2023, e traz informações...

Newsletter

- Receba notícias em seu email

- Não compartilhamos emails com terceiros

- Cancele quando quiser

Últimas notícias

Manifestação a favor da regulamentação dos cigarros eletrônicos ocorre nesta sexta-feira em Brasília

Consumidores foram convocados a se concentrarem na frente do prédio da ANVISA a partir das 9h de sexta-feira (1º)

A desinformação sobre os cigarros eletrônicos faz vítimas reais

O estigma contra os produtos e consumidores vem causando danos graves na vida das pessoas.

Globo compartilha informações falsas em editorial que faz campanha contra cigarros eletrônicos

Contra seu próprio princípio editorial de isenção, Globo toma partido contra a regulamentação do vape no Brasil, usando informações falsas para causar pânico moral.

Apoiar a proibição dos cigarros eletrônicos no Brasil é apoiar o terrorismo

Cidadão Sírio que morou em Belo Horizonte financiou ações terroristas graças ao contrabando de cigarros eletrônicos no Brasil.

COP10 é cancelada em meio a acusações de censura, controvérsias e protestos no Panamá

Evento da OMS criticado por não permitir acesso a interessados contrários aos temas foi prejudicado pela agitação no país.