Rio de Janeiro terá seminário discutindo a importância da regulamentação dos cigarros eletrônicos no Brasil

Publicado:

Tempo de leitura: 3 minutos

Acontece no próximo dia 25 de Julho no Rio de Janeiro, à partir da 9:30h, o seminário Cigarros Eletrônicos – Redução de Riscos e a Importância da Regulamentação, com a presença de especialistas em economia, pesquisa, saúde e direito, incluindo um consumidor dos produtos e uma ex-diretora da Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

O evento é organizado pelo O Globo, com transmissões ao vivo em diversas plataformas, pelo Youtube e Facebook do O Globo e também pelo Facebook e Linkedin do jornal O Valor Econômico, destinado exclusivamente a maiores de idade.

A apresentação do projeto diz:

A regulamentação dos cigarros eletrônicos pode trazer não apenas uma alternativa de risco reduzido para adultos fumantes, como também um cenário com regras definidas para fabricação, fiscalização e comunicação, além de coibir o crescente mercado ilegal e arrecadar impostos no Brasil. Neste seminário, vamos reunir especialistas para debater a regulamentação no país.

O tema é abordado em um momento de grande preocupação para a saúde pública brasileira. O comércio de cigarros eletrônicos é ilegal desde 2009, mas ao longo dos anos os brasileiros mostraram grande interesse pelos produtos, cuja posse ou uso nunca foram proibidos, o que resultou em um mercado ilegal espalhado pelo país. De acordo com um levantamento do instituto Inteligência em Pesquisa e Consultoria Estratégica (Ipec), em 2022 já são mais de 2,2 milhões de consumidores adultos brasileiros e 6 milhões de adultos fumantes que já experimentaram o produto.

Cigarros eletrônicos são oferecidos através de sites, tabacarias, postos de gasolina e até por ambulantes, sem estar sujeitos a qualquer regra sanitária ou compromisso com a qualidade e segurança, o que representa um alto risco para a saúde dos consumidores, especialmente jovens que estão tendo acesso livre aos produtos, com dados recentes publicados pelo O Globo mostrando que 1 em cada 4 adolescentes já experimentaram vaporizadores no Brasil.

Mais de 80 países já optaram pela regulamentação desses produtos, entre eles a Inglaterra, que adotou os cigarros eletrônicos como política de saúde pública e seu Ministério da Saúde lançou em abril deste ano o programa “Swap to Stop” (Trocar para parar) que prometeu distribuir 1 milhão de kits de vaporizadores para incentivar adultos fumantes a abandonar os cigarros convencionais.

A Suécia é outro exemplo de que a regulamentação dos cigarros eletrônicos parece ser a melhor opção. O país está prestes a comemorar o feito de se tornar o primeiro do mundo a ser considerado “livre do fumo”, atingindo o índice de 5% de prevalência no tabagismo, feito realizado 17 anos antes do prazo estabelecido pela Organização Mundial da Saúde.

A decisão destes países se baseia no que a ciência tem mostrado em relação a redução dos danos à saúde que estes produtos oferecem em comparação com os cigarros tradicionais. Em setembro de 2022 foi divulgada a maior revisão de estudos científicos sobre o tema, encomendada pelo Ministério de Saúde Inglês e conduzida pelo King´s College London, concluindo que, quando regulamentados e sujeitos a regras sanitárias adequadas, vaporizadores são 95% menos prejudiciais do que os cigarros convencionais, representando apenas uma fração dos riscos de fumar.

Os resultados nesses países têm se mostrado extremamente positivos: milhões de fumantes estão trocando os cigarros convencionais pelos vaporizadores, resultando em índices muito menores de doenças atreladas ao tabagismo, além do uso por jovens ser pequeno e controlado. Também existem significativos ganhos econômicos, já que movimentam uma grande economia que gera empregos e paga impostos. De acordo com um estudo da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), o cenário atual tira do Brasil cerca de R$ 16 bilhões em faturamento anual, entregue atualmente a um mercado ilegal.

O evento contará com a participação de especialistas como a Dra. Érika Suzigan, médica fisiatra; Márcia Cavallari, CEO do instituto de Inteligência em Pesquisa e Consultoria Estratégica (Ipec); João Gabriel Pio, economista-chefe da FIEMG; Carolina Fidalgo, advogada; Miguel Okumura, consumidor e criador do Vaporacast; e Dra. Alessandra Bastos, farmacêutica, ex-diretora da Anvisa e consultora da BAT Brasil. O debate terá a abertura de Lauro Anhezini Junior, chefe de assuntos regulatórios e científicos da BAT Brasil e a mediação do jornalista Edward Pimenta, diretor do G.Lab, estúdio de conteúdo da Editora Globo.

O evento é gratuito, inscrições e perguntas podem ser realizadas através do site:

https://oglobo.globo.com/projetos/seminariocigarroseletronicos/

Outros artigos

Reino Unido proibirá vapes descartáveis, restringirá sabores e fará mais coisas estúpidas

O governo do Reino Unido decidiu que proibirá os vaporizadores descartáveis ​​e sugere que proibirá os sabores dos vaporizadores. Isto irá desencadear mais tabagismo, mais comércio ilícito e mais soluções alternativas.

9 fatos e mitos sobre o vaping de acordo com o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido

Menos prejudiciais do que fumar, ajudam contra o tabagismo, menos nicotina que os cigarros e outros fatos que o Brasil ignora sobre o vaping.

Mais um grande estudo confirma os benefícios dos cigarros eletrônicos

Um conjunto crescente de evidências mostra que os cigarros eletrônicos são muito mais seguros do que fumar e a ferramenta de cessação mais eficaz disponível.

FDA divulga dados de 2023 dos EUA com queda no tabagismo e no uso de vape adolescente após regulamentação

Tabagismo adolescente é o menor de todos os tempos e o consumo de cigarros eletrônicos continua caindo.

Colégio Real de Psiquiatras da Austrália e Nova Zelândia declara que vapes são alternativa mais segura do que o consumo de tabaco

Instituição declara que o vaping pode ser prescrito para pessoas adultas que fumam como forma de tratamento contra o tabagismo.

4 milhões de brasileiros já usaram cigarro eletrônico no Brasil e a maioria vê propaganda na TV

O relatório Covitel 2023 coletou informações de 9 mil pessoas, com 18 anos ou mais, entre janeiro e abril de 2023, e traz informações...

Newsletter

- Receba notícias em seu email

- Não compartilhamos emails com terceiros

- Cancele quando quiser

Últimas notícias

Manifestação a favor da regulamentação dos cigarros eletrônicos ocorre nesta sexta-feira em Brasília

Consumidores foram convocados a se concentrarem na frente do prédio da ANVISA a partir das 9h de sexta-feira (1º)

A desinformação sobre os cigarros eletrônicos faz vítimas reais

O estigma contra os produtos e consumidores vem causando danos graves na vida das pessoas.

Globo compartilha informações falsas em editorial que faz campanha contra cigarros eletrônicos

Contra seu próprio princípio editorial de isenção, Globo toma partido contra a regulamentação do vape no Brasil, usando informações falsas para causar pânico moral.

Apoiar a proibição dos cigarros eletrônicos no Brasil é apoiar o terrorismo

Cidadão Sírio que morou em Belo Horizonte financiou ações terroristas graças ao contrabando de cigarros eletrônicos no Brasil.

COP10 é cancelada em meio a acusações de censura, controvérsias e protestos no Panamá

Evento da OMS criticado por não permitir acesso a interessados contrários aos temas foi prejudicado pela agitação no país.