Estudo revela que 62% dos fumantes na França e 53% na Alemanha acreditam que as políticas antifumo ignoram o quão difícil é parar de fumar

Publicado:

Tempo de leitura: 2 minutos

Bruxelas, Bélgica, 14 de outubro — Um estudo encomendado pelo Consumer Choice Center e escrito em cooperação com a World Vapers’ Alliance revela vários equívocos sobre nicotina e redução de danos entre profissionais de saúde e consumidores. 

A pesquisa foi realizada para obter uma maior visão sobre o impacto das percepções errôneas sobre vaping entre médicos de clínica geral, fumantes e formuladores de políticas na futura política de redução de danos na Europa. A pesquisa apresenta 30 entrevistas com clínicos gerais e uma pesquisa quantitativa com 862 fumantes franceses e alemães.

Principais conclusões:

  • Apenas três em cada 15 médicos na Alemanha dizem conhecer o termo redução de danos;
  • 33% dos fumantes na França e 43% na Alemanha acreditam erroneamente que o vaping é tão prejudicial ou mais prejudicial do que os cigarros;
  • 69% dos fumantes na França e 74% dos fumantes na Alemanha acreditam erroneamente que a nicotina causa câncer;
  • 62% dos fumantes na França e 53% na Alemanha acreditam que as políticas antifumo ignoram o quão difícil é parar de fumar.

“Existem duas fontes principais de informação para os fumantes atuais que desejam parar: a internet e seu clínico geral. Infelizmente, as percepções existentes entre os médicos sobre o vaping como ferramenta de redução de danos os impedem de recomendá-lo para a cessação do tabagismo. Os médicos de família também têm a crença errônea de que a nicotina causa câncer. Do ponto de vista do paciente, isso reduz potenciais melhorias na saúde pública”, diz Bill Wirtz, analista sênior de políticas do Consumer Choice Center.

“Esta pesquisa revela muitos equívocos sobre redução de danos e vaping em países que deveriam estar na linha de frente da luta pela redução de danos na Europa. Os fumantes não estão satisfeitos com os métodos tradicionais para parar de fumar e devem ser informados de que o vaping pode ajudar. Mais de 19 milhões de pessoas podem potencialmente mudar do tabagismo para o vaping na UE, e os políticos devem ajudá-los, incentivando o vaping como o método de cessação do tabagismo mais bem-sucedido até agora”, disse Michael Landl, diretor da World Vapers’ Alliance. 

Konstantinos Farsalinos, médico e especialista em saúde pública com muita experiência em pesquisas de redução de danos do tabaco, mencionou:

“As evidências científicas atualmente disponíveis são claras: vaping é muito menos prejudicial do que fumar e deve fazer parte de todas as estruturas de cessação do tabagismo em todo o mundo. Esses equívocos sobre riscos e danos relativos mostram que a saúde pública deve fazer um trabalho melhor para incentivar os fumantes a mudar para alternativas menos prejudiciais”.

O estudo foi conduzido pela empresa de pesquisa Info Sapiens e co-autoria do Consumer Choice Center em parceria com o grupo de defesa do vaping World Vapers’ Alliance. 

Uma cópia avançada do resumo da pesquisa está disponível aqui

Centro de Escolha do Consumidor (CCC) representa consumidores em mais de 100 países em todo o mundo. A CCC monitora de perto as tendências regulatórias em Ottawa, Washington, Bruxelas, Genebra, Lima, Brasília e outros pontos de regulação e informa e ativa os consumidores para lutar pela #ConsumerChoice. Saiba mais em consumerchoicecenter.org.

A World Vapers’ Alliance (WVA) amplifica a voz dos vapers em todo o mundo e os capacita a fazer a diferença em suas comunidades. Os membros da WVA são associações de consumidores e vapers individuais de todo o mundo. Mais informações sobre worldvapersalliance.com 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Outros artigos

Cientista é banido de conferência sobre cigarros eletrônicos por difamação de organização anti-vaping

O sociólogo norueguês Karl Erik Lund foi banido de uma conferência que ajudou a organizar por conta de acusações infundadas.

Procura-se morte por cigarros eletrônicos e paga-se bem

Que tal ganhar mais de 30 mil reais provando que os cigarros eletrônicos já provocaram alguma morte no mundo?

A ideia de que os sabores dos cigarros eletrônicos fisgam as crianças é simples, convincente – e falsa.

Cigarros eletrônicos com sabores são motivo de muito debate, mas em muitos casos acabamos por ter que usar o princípio da assimetria da besteira.

A lei brasileira sobre os cigarros eletrônicos e o panorama do país nos dias atuais

Conheça em detalhes a lei brasileira sobre cigarros eletrônicos e a situação geral do país em relação aos produtos.

Newsletter

- Receba notícias em seu email

- Não compartilhamos emails com terceiros

- Cancele quando quiser

Últimas notícias

Paulo Jubilut, biólogo famoso com mais de 2.5 milhões de inscritos no Youtube, divulga vídeo com fake news sobre o vape

Da quantidade de nicotina no vape e nos cigarros até Acetato de Vitamina E, o biólogo não fez a pesquisa necessária para tratar do tema.

Decisão da ANVISA sobre cigarros eletrônicos pode ser anulada pela câmara dos deputados

Ex-diretora Cristiane Jourdan é acusada de "politização do processo" e "revanchismo" na tentativa de manter o cargo.

Vape é oportunidade de colaboração entre indústria e governo para combater tabagismo

Estudos apontam que o cigarro eletrônico desempenha importante papel na redução de danos do tabaco, apoiando a prevenção de recaídas e crises de abstinência; caso da Nova Zelândia é considerado exemplar

Aumenta a certeza de que DEFs são mais eficazes para parar de fumar do que adesivos e gomas de mascar de nicotina

Conclusão foi da Biblioteca Cochrane, referência no mundo em revisão de pesquisas de saúde.

Vídeo mostra que falta de regulação do mercado vaping estimula trabalho infantil na China

O mercado não regulado de vaporizadores alimenta uma indústria ilegal que explora crianças.