Olhar Digital publica fake news sobre o vaping

Publicado:

Tempo de leitura: 3 minutos

Publicado originalmente em 26/05/2022 – Atualizado em 27/05/2022

Contexto

Após publicar crítica apontando diversos erros e contradições na matéria publicada no portal Olhar Digital em 25/05/2022 à respeito dos cigarros eletrônicos, o Vapor Aqui recebeu resposta do editor em 27/05/2022, que alterou o conteúdo e corrigiu os problemas nas informações.

Parabenizamos o compromisso do veículo com o conteúdo verdadeiro, um dos pilares do jornalismo.

Você pode conferir o artigo alterado clicando aqui e abaixo nossa crítica original que motivou a mudança.

Crítica sobre o artigo original

De olho na mídia, sempre que nos deparamos com artigos sobre cigarros eletrônicos, analisamos com olhar crítico e sem viés, para identificar potenciais equívocos e se for o caso, produzir conteúdo que possa corrigir falhas e informar corretamente o público, já que se trata de um assunto bastante comentado no Brasil, porém ainda carecendo de um debate mais técnico e livre de ideologias.

No dia 25/05/2022 foi publicado um artigo no site Olhar Digital, importante veículo de informação sobre tecnologia e atualidades, assinado por Matheus Barros, que traz informações inadequadas e contribui para causar confusão e disseminar conteúdo inverídico sobre os cigarros eletrônicos.

https://olhardigital.com.br/2022/05/25/medicina-e-saude/cigarros-eletronicos-causam-mais-gastos-com-saude-que-cigarros-tradicionais-diz-estudo/

O primeiro parágrafo segue:

Uma pesquisa liderada pela Escola de Enfermagem da Universidade da Califórnia em São Francisco, nos Estados Unidos, apontou que o uso de cigarros eletrônicos gera mais gastos com saúde do que o uso dos cigarros tradicionais.

Matheus Barros, Olhar Digital – 25/05/2022

Esta informação é falsa, não apenas desmentida pela pesquisa referenciada, mas incrivelmente, dentro do próprio artigo do Olhar Digital, já em seu terceiro parágrafo:

“Nossa descoberta indica que os gastos com saúde para uma pessoa que usa cigarros eletrônicos são US$ 2.024 a mais por ano do que para uma pessoa que não usa nenhum produto de tabaco”, afirmou o principal autor da pesquisa, Yingning Wang. 

Matheus Barros, Olhar Digital – 25/05/2022

Além do erro grosseiro, a pesquisa mostra justamente o contrário, que o custo em saúde para quem usa cigarros eletrônicos é de apenas 1/3 quando comparado com o custo dos fumantes de cigarros tradicionais.

Nossas estimativas de gastos com saúde para usuários atuais de cigarros eletrônicos (US$ 2.024) são menores do que uma estimativa recente de gastos com saúde por fumante calculada a partir da estimativa de Xu e colegas. Xu e colegas usaram dados do MEPS de 2006–2010 vinculados ao NHIS de 2004–2009 e estimaram que os gastos anuais com saúde atribuíveis ao tabagismo de adultos (fumantes atuais e ex-fumantes) totalizaram US$ 167,5 bilhões em 2010, incluindo US$ 61,6 bilhões de fumantes atuais. Dividimos seus gastos com saúde atribuíveis aos fumantes atuais (US$ 61,6 bilhões) pelo número médio de fumantes atuais estimados a partir dos dados do NHIS de 2004-2009 para chegar a uma estimativa de US$ 4.481 gastos com saúde por usuário atribuíveis ao tabagismo atual em 2010. Usando o Índice de Preços ao Consumidor para Cuidados Médicos para Todos os Consumidores Urbanos, sua estimativa por fumante seria de US$ 5.602 em 2018. Nossa estimativa de despesas de saúde de US$ 2.024 por usuário para usuários atuais de cigarros eletrônicos é aproximadamente um terço de sua estimativa para fumantes atuais. 

https://tobaccocontrol.bmj.com/content/early/2022/05/04/tobaccocontrol-2021-057058

O que a pesquisa realmente parece mostrar é que uma troca dos cigarros convencionais, que custam U$ 5.602 anuais por consumidor, para os eletrônicos, que custam U$ 1.796 por ano, poderia significar uma economia de bilhões de dólares anuais em gastos com a saúde.

O estudo também apresenta uma metodologia estranha:

Entre a amostra do estudo, 3,7% eram usuários atuais de cigarros eletrônicos, incluindo 0,2% usuários exclusivos e 3,5% usuários dual/poli de cigarros eletrônicos. Além disso, 47,3% eram do sexo masculino, 50,8% tinham entre 35 e 64 anos, 24,4% eram alcoólatras, 86,9% tinham seguro de saúde com cobertura total e 13,2% relataram saúde regular ou ruim. 

https://tobaccocontrol.bmj.com/content/early/2022/05/04/tobaccocontrol-2021-057058

Apenas 0,2% das pessoas eram consumidores exclusivos de cigarros eletrônicos, sendo a maior parte também fumante e quase 25% alcoólatras, cujos gastos com saúde obviamente são maiores, achamos estranho que a conclusão do estudo aponte os cigarros eletrônicos como vilões.

Devemos lembrar que a pesquisa é apenas um modelo estimativo e possui grandes limitações que ela mesma admite, portanto mais estudos devem ser efetuados.

Nossas estimativas estão sujeitas a várias limitações…a utilização de serviços de saúde auto relatada pode estar sujeita a viés de memória e pode ser sub notificada. Assumimos que o RR de gastos com saúde é o mesmo que o RR de utilização de saúde. Se essa suposição não for válida, nossas estimativas podem ser tendenciosas. Não incluímos o uso anterior de cigarros eletrônicos em nossa estimativa porque o NHIS não nos permite diferenciar usuários experimentais de cigarros eletrônicos (já experimentaram cigarros eletrônicos uma ou duas vezes na vida) de ex-usuários que costumavam usar cigarros eletrônicos regularmente. Portanto, incluir o uso anterior de cigarros eletrônicos na estimativa pode enviesar as estimativas.

https://tobaccocontrol.bmj.com/content/early/2022/05/04/tobaccocontrol-2021-057058

Enviamos um email para a redação do Olhar Digital alertando sobre o caso, porém até a publicação deste artigo, 26/05/2022, não obtivemos resposta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Outros artigos

Cientista é banido de conferência sobre cigarros eletrônicos por difamação de organização anti-vaping

O sociólogo norueguês Karl Erik Lund foi banido de uma conferência que ajudou a organizar por conta de acusações infundadas.

Procura-se morte por cigarros eletrônicos e paga-se bem

Que tal ganhar mais de 30 mil reais provando que os cigarros eletrônicos já provocaram alguma morte no mundo?

A ideia de que os sabores dos cigarros eletrônicos fisgam as crianças é simples, convincente – e falsa.

Cigarros eletrônicos com sabores são motivo de muito debate, mas em muitos casos acabamos por ter que usar o princípio da assimetria da besteira.

A lei brasileira sobre os cigarros eletrônicos e o panorama do país nos dias atuais

Conheça em detalhes a lei brasileira sobre cigarros eletrônicos e a situação geral do país em relação aos produtos.

Newsletter

- Receba notícias em seu email

- Não compartilhamos emails com terceiros

- Cancele quando quiser

Últimas notícias

Paulo Jubilut, biólogo famoso com mais de 2.5 milhões de inscritos no Youtube, divulga vídeo com fake news sobre o vape

Da quantidade de nicotina no vape e nos cigarros até Acetato de Vitamina E, o biólogo não fez a pesquisa necessária para tratar do tema.

Decisão da ANVISA sobre cigarros eletrônicos pode ser anulada pela câmara dos deputados

Ex-diretora Cristiane Jourdan é acusada de "politização do processo" e "revanchismo" na tentativa de manter o cargo.

Vape é oportunidade de colaboração entre indústria e governo para combater tabagismo

Estudos apontam que o cigarro eletrônico desempenha importante papel na redução de danos do tabaco, apoiando a prevenção de recaídas e crises de abstinência; caso da Nova Zelândia é considerado exemplar

Aumenta a certeza de que DEFs são mais eficazes para parar de fumar do que adesivos e gomas de mascar de nicotina

Conclusão foi da Biblioteca Cochrane, referência no mundo em revisão de pesquisas de saúde.

Vídeo mostra que falta de regulação do mercado vaping estimula trabalho infantil na China

O mercado não regulado de vaporizadores alimenta uma indústria ilegal que explora crianças.