Image default
Juices Vapor Gourmet

Análise do juice Paçoca – Rainmaker

Mais uma estréia aqui no Vapor Aqui, desta vez é o juice Paçoca da marca Rainmaker. A marca também foi recentemente analisada e fizemos o raio-x dela neste artigo, confira!

Novo juice significa novo setup e aproveitei que recentemente recebi algodão Muji (nunca tinha experimentado) e radicalizei, instalei no velocity V2 um par de Fused Claptons na vertical, o que ainda não tinha feito. Continuei com a potência que já costumo usar de 90W de pre-heat por 1 segundo e 70W nominais. Sabor e vapor fantásticos.

De acordo com o fabricante, temos:

Surpresa com tamanha nostalgia é o que vai te acontecer quando vaporar o Paçoca, o que você amou desde a infância com zero calorias.

Paçoca é um dos mais tradicionais doces brasileiros e como Deus é pai e não é padrasto temos ele na versão clássica que parece areia doce, temos o picolé, o sorvete, até em pasta no melhor estilo Nutella e agora graças à marca Rainmaker, temos essa tentação também na forma de juice e como eles mesmos descrevem, com a vantagem de não ter as mesmas calorias.

Apesar do sabor ser relativamente alcançado, o juice não se tornou extremamente doce o que pode ser um alívio para muitos que gostariam de provar, mas podem ter medo dele ser enjoativo, coisa que acontece com o doce original. Não se preocupe, é doce, mas não tanto quanto.

Isso é uma vantagem, mas também uma desvantagem do produto, porque ele é mais suave do que esperava, não pelo juice ser fraco, mas porque a Paçoca original é muito doce e essa sensação não é replicada no juice. Entendo que o fabricante queira abranger uma gama maior de clientes pois nem todo mundo está preparado para ter a avalanche de glicose, mas seria bem legal ter algo parecido com aquela sensação da diabetes se alastrando à medida que você vai consumindo o produto.

O sabor foi bem adaptado com o uso do Acetyl Pyrazine, um aditivo bem conhecido no mundo DIY que dá aquele toque de amendoim tostado. Também senti um caramelo, um pouco de brown sugar (açúcar mascavo) e outras notas não tão definidas, mas cujo efeito geral é similar ao doce original, claro que dentro das devidas limitações que o vapor impõe.

Com as devidas adaptações, é um ótimo clone de um doce famoso, cuja iniciativa é inédita pelo menos dentre os fabricantes de juices nacionais que eu conheço.

As notas de base (do vapor que soltamos) estão bem definidas com o amendoim tostado e as altas (quando puxamos o vapor) são definidas por um doce caramelizado bem equilibrado.

O blend imagino ser algo em torno de 60% VG e 40% PG (o fabricante não informa) valor que combina com um juice doce, pois dá volume e deixa tudo muito redondo.

A Rainmaker começou bem deixando uma boa impressão no primeiro produto que analiso. Até hoje não havia visto uma proposta de Paçoca, sinal de que a originalidade da receita é mais um ponto positivo para o fabricante.

Artigos relacionados

Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação. Imaginamos que você esteja feliz com isso, mas caso não queira, você pode optar por não aceitar. Aceitar Leia mais