Image default
Aparelhos Notícias Vapor Gourmet

Vapor Gourmet – Análise – Vaporesso Xtra

O Vapor Aqui apresenta mais um produto da Vaporesso, desta vez falamos do Xtra, um pod muito elegante que oferece dois tipos de cartuchos com a possibilidade de MTL e DL com Salt e Freebase.

Temos também em nosso canal do YouTube uma analise completa caso você queira conferir:

AGRADECIMENTOS


O Vaporesso Xtra foi gentilmente enviado para uma análise completa, justa e honesta pela White Cloud Brasil a qual agradecemos e pedimos a você que seja recíproco apoiando marcas que fazem este trabalho de divulgação com os geradores de conteúdo, para isso basta conhecer o site da marca e seguir-los nas redes sociais.

Lembrando que temos cupom de desconto com a White Cloud Brasil com 5% no site todo usando o código VAPORAQUI.

SOBRE O VAPORESSO XTRA


Com design arrojado, pequeno e sofisticado, possibilidade de uso de dois tipos de cartuchos um com 0.8 ohms e outro com 1.2 ohms o Vaporesso XTRA é um aparelho que deve agradar todos aqueles que desejam algo pequeno, portátil e simples, mas que ainda assim entrega ótimo sabor e excelente experiência, com algumas ressalvas.

UNBOXING


[foogallery id=”11831″]

Na caixa do produto você recebe o aparelho com um cartucho com uma coil chamada de MESHED UNIPOD (feita com resistência em mesh) de 0.8 ohms já instalado no aparelho, um cartucho extra chamado de UNIPOD com 1.2 ohms, vários papéis que incluem manual em várias línguas, certificado de garantia, cartão com instruções para conferência da autenticidade do produto e um cartão resumindo a diferença entre os cartuchos que acompanham o produto, além de um cabo USB para carregamento.

Sem contras neste quesito, você recebe tudo o que precisa para usar o aparelho e as informações são simples, claras e precisas.

O VAPORESSO XTRA


Um aparelho bem pequeno medindo apenas 73.9 x 38.2 x 16.7 mm, pesando míseros 62.9 g sem cartucho e 68.8 g com um cartucho instalado, sendo que ambos os cartuchos recebem um máximo de 2 ml de líquido.

A bateria possui 900 mah de autonomia e entrega 11 W com a coil mais alta de 1.2 ohms e 16 W com a coil mesh de 0.8 ohms. Possui carregamento máximo de 1 A e tensão de 5 V.

O aparelho é pequeno, bonito e muito ergonômico, cabendo na palma da mão e facilmente perdido no bolso, cada cartucho possui um bocal anatômico muito confortável, feito todo em plástico fumê e designados pela cor da borracha do canal de refilamento: vermelha para a coil MESH de 0.8 ohms e cinza para a coil UNIPOD de 1.2 ohms.

O cartucho possui canais de alimentação para o algodão bem generosos o que deve garantir funcionamento adequado mesmo com líquidos mais densos com blend de 70% VG e 30% PG, possui dois conectores na parte inferior e o orifício de refilamento é bem selado com uma proteção de borracha que sai fácil, mas permanece firmemente fechada após preenchimento com líquido.

Após instalados, existe um mínimo jogo do cartucho no aparelho, quase imperceptível e ambos ficaram bem presos, sem risco de sair acidentalmente, por conta dos poderosos imãs que prendem os cartuchos à base de conexão.

Na parte inferior do dispositivo há um botão para ligar ou desligar o aparelho, o que é bastante bem vindo e permite economia de bateria. Para ligar basta pressionar com 5 cliques e para desligar outros 5 cliques são necessários. Um ponto negativo é o tamanho do botão e sua localização, que pode ser um desafio para quem tem dedos grandes ou não tem muita unha, não é muito fácil apertar o botão por conta do posicionamento.

Ainda embaixo do aparelho encontramos 3 orifícios de ventilação caso ocorram problemas com a bateria interna do dispositivo.

Na lateral encontramos a porta USB para carregamento e uma luz indicadora que informa o percentual de bateria, sendo verde para alta com 71% a 100% de carga, azul para média com 31% a 70% de carga e vermelha para baixa com 0% a 30% de carga.

A luz ainda informa se houve conexão adequada com o cartucho piscando em verde, pisca em vermelho quando está carregando e mantem-se verde quando o carregamento finalizou, além de indicar também ao piscar em vermelho se há um problema com a conexão com o cartucho.

Um pequeno ponto negativo é que pelo posicionamento da luz indicativa fica difícil identificar o percentual de bateria durante o uso porque ela acende e apaga rapidamente e só indica algo quando você traga, então é preciso tragar e rapidamente olhar para a luz para saber quanto de bateria resta.

O Vaporesso XTRA ainda possui 4 mecanismos de proteção: curto circuito (luz pisca 5 vezes em vermelho), proteção contra resistências muito altas (luz pisca 5 vezes em vermelho), proteção de resistência muito baixa (a luz pisca 3 vezes em vermelho) e tempo muito longo de puff quando tragado por mais de 8 segundos (pisca 3 vezes em vermelho).

A EXPERIÊNCIA DE USO


O Vaporesso XTRA tinha tudo para ser um dos grandes PODS de 2020 com um design arrojado, super portátil e elegante e com um funcionamento simples e direto, porém peca muito na engenharia por trás dos cartuchos entregando uma experiência não ideal na tragada MTL, o que pode ser facilmente resolvida com um pouco de adaptação técnica alternativa, também conhecida como gambiarra, que por incrível que pareça pode transformar este pod em um verdadeiro monstro do MTL.

O grande problema está no airflow, cuja escolha do diâmetro do orifício de fluxo de ar posiciona o XTRA em um ponto que não está nem no terreno da tragada direta ou DL nem no da tragada indireta ou MTL, ficando num meio do caminho que não apresenta uma experiência perfeita em nenhum dos casos.

Mas isso não é exclusividade do XTRA e encontramos o mesmo problema em praticamente todos os aparelhos, de todas as marcas do mercado, que tentam fazer as duas coisas, entregar tanto MTL quanto DL, pois não há no mercado nenhum produto definitivo que consiga apresentar ambas as experiências de forma perfeita.

No XTRA o problema está no fluxo de ar que é idêntico em ambos os cartuchos, coisa que não faz o menor sentido se pensarmos que um deles deveria ser feito para tragada indireta e outro para tragada direta, um para uma experiência mais solta e outra mais restrita.

Ao optar pelo mesmo diâmetro de entrada de ar em ambos os cartuchos, temos um com 1.2 ohms que oferece uma experiência de pouca produção de vapor, pouco volume e pouco sabor, entregando uma sensação de que o aparelho está muito fraco, isso porque o XTRA automaticamente determina uma potência de apenas 11 W quando utilizado com o cartucho de 1.2 ohms.

Já no cartucho de 0.8 ohms a coisa melhora bastante e entrega um excelente sabor com boa produção de vapor devido à coil ser de malha e o aparelho estabelecer uma potência de 16 W. Mesmo assim será uma tragada voltada a um público que deseja uma puxada mais arejada e que requer um pouco de costume para usá-lo em MTL, mas isso também acontece com seus concorrentes dentro do mesmo nicho de mercado.

Não é um MTL puro, sendo uma tragada solta e que pode ser facilmente transformada em DL ou direto para o pulmão com uso de nicotina Freebase, apesar de não ser um aparelho voltado pra isso.

É possível com um simples ajuste transformar o XTRA em talvez um dos melhores PODS de 2020 até o momento, o que torna a coisa meio ridícula pois você precisa fazer uma gambiarra que deveria ser desnecessária para obter tal resultado.

[foogallery id=”11833″]

 

Utilizando uma fita adesiva, corte um pedaço de 3 a 4 mm de diâmetro e cubra o airflow prendendo sem pegar nos conectores dourados e depois faça um mínimo furo no meio usando um palito de dentes.

Evite usar fita isolante porque o material plástico tende a tentar retornar ao estado original e o furo vai acabar fechando um pouco após ser feito, o ideal é uma fita crepe ou durex.

Pronto, MTL perfeito, ótimo sabor e experiência sensacional.

Se levarmos em conta essa gambiarra e o fato do cartucho possuir um bocal muito anatômico e agradável de usar, com formato pequeno e portátil o que ajuda muito na experiência em geral, podemos considerar neste caso o XTRA como um dos melhores PODS de 2020 até o momento, mas tudo isso levando em conta uma adaptação caseira que deveria ser desnecessária.

Em questão de longevidade, somente após 3 semanas de uso contínuo é que percebi alguma alteração de sabor no uso do cartucho de 0.8 ohms em mesh, utilizando líquidos dos mais variados, tanto Nicsalt quanto Freebase, frutados, doces e atabacados, o que demonstra que a coil é muito bem feita.

Em questão de vazamentos obtive um mínimo acúmulo de líquido na base de conexão, quase imperceptível, o que posso concluir sem dúvida que este aparelho não vaza.

CONCLUSÃO


O XTRA como vem de fábrica é um ótimo pod para quem busca boa produção de vapor e excelente sabor desde que usado com o cartucho de 0.8 ohms em mesh. O cartucho de 1.2 ohms não me convenceu e o fato de ambos terem o mesmo fluxo de ar torna a coisa meio redundante.

É um POD honesto que precisa de um pouco de costume para quem vai usar Nicsalt e buscar a experiência MTL, o que acontece com praticamente todos os aparelhos do mercado que estão nesse nicho de POD e MOD numa coisa só.

Gostei muito do design, tamanho e ergonomia que em conjunto entregam uma grande satisfação no uso.

Se você optar pela dica que passei vai encontrar no XTRA um dos melhores PODS MTL do mercado atualmente.

Artigos relacionados

Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação. Imaginamos que você esteja feliz com isso, mas caso não queira, você pode optar por não aceitar. Aceitar Leia mais