Image default
Aparelhos Destaques Notícias Vapor Gourmet

Vapor Gourmet – Análise – Innokin IO

AInnokin é uma das mais antigas e conceituadas marcas de vaping mundial, desde 2011 oferecendo produtos diferenciados no mercado de cigarros eletrônicos e desta vez analisamos o IO, um POD da Innokin extremamente portátil do tamanho de um cigarro comum.

Temos também em nosso canal do YouTube uma analise completa caso você queira conferir:

AGRADECIMENTOS


O IO da Innokin foi gentilmente enviado pela White Cloud Brasil para uma análise completa, justa e honesta portanto agradecemos e pedimos a você que seja recíproco apoiando as marcas que enviam produtos para análise, para isso basta conhecer o site da marca e seguir-los nas redes sociais.

Lembrando que temos cupom de desconto com a White Cloud Brasil com 5% no site todo usando o código VAPORAQUI.

SOBRE O INNOKIN IO


Um dos menores (senão o menor) POD que você vai encontrar no mercado atualmente, o IO é divulgado como sendo “um pequeno e poderoso vape”, pequeno com certeza ele é, mas será poderoso?

Com um tamanho de apenas 87.45mm x 13.90mm x 8mm ele é praticamente do tamanho de um cigarro comum, pesando apenas 16g incluindo líquido. Só para você ter um comparativo, uma bateria 18650 pesa 45g em média, portanto você precisa de quase 3 IOs para ter o peso de uma bateria.

Com design muito bonito, todo em metal exceto o cartucho, é extremamente agradável de usar até porque acredito que na cabeça do fumante exista alguma coisa que ativa a área responsável pelo prazer de fumar na hora que você segura um cigarro normal e o IO dá esta mesma sensação, diferente de quando está usando um aparelho muito maior, o que é ótimo.

Vamos conferir o que recebemos ao abrir a caixa do produto.

UNBOXING


A caixa do IO traz o aparelho com um cartucho já instalado usando cerâmica e coil provavelmente de Kanthal (o material não é informado), um cartucho extra feito de Kanthal e algodão, cabo de carregamento, manual, termo de garantia, dois adaptadores de ponta ultrafina para frascos de juices e um guia para usá-los.

O manual está em várias línguas e o funcionamento do dispositivo é tão fácil e intuitivo que se você já usou algum POD na vida, não precisará sequer lê-lo.

O IO DA INNOKIN


Recebi o aparelho na cor azul metálica, muito bonita, se apresentando como um aparelho sofisticado que salta aos olhos exatamente por ser tão pequeno. Ele também é apresentado em outras 4 cores: preto, prata, gunmetal e rainbow.

Feito todo em aço inox, exceto seu cartucho, apresenta na parte superior a conexão para os cartuchos, na parte frontal você tem uma pequena luz de led indicadora para as funções do dispositivo, nos lados você tem minúsculos orifícios responsáveis pelo fluxo de ar e finalmente na parte inferior você tem a porta micro USB para carregamento.

A bateria do IO é de apenas 310 mah, porém por usar coils de 1.4 ohms e ser um dispositivo voltado para o uso de Nicsalt, a autonomia dá direito tranquilamente a um dia inteiro de um uso normal, sem exageros, para um fumante que costuma consumir uma carteira de cigarros diária. Para aqueles fumantes mais pesados talvez será preciso carregar o IO durante o dia.

Ambos os cartuchos são de 1.4 ohms com a diferença sendo no tipo de sistema de coil, uma de Kanthal com algodão e outra de Kanthal com cerâmica (imagina-se que seja também de Kanthal, pois não há informação sobre isso) e ambos recebem apenas 0.8 ml de líquido, mas para este tipo de dispositivo o volume é apropriado para o consumo, que pode ser de juices com nicotina tanto Freebase quanto Nicsalt e ainda líquidos contendo CBD o que o torna um sistema 3 em 1.

CBD é pouco conhecido no Brasil e ainda muito difícil de conseguir além de muito caro, é um produto derivado da maconha, muito popular lá fora por suas propriedades medicinais, usado como relaxante, calmante e sem oferecer qualquer tipo de alteração pois não tem THC, o princípio psicotrópico da Cannabis.

Os cartuchos são de plástico escuro, sendo possível checar a quantidade de juice apenas quando colocados contra a luz. Eles possuem dois conectores para conexão com o dispositivo e são presos por encaixes plásticos, nada de imãs, mas apesar disso ficam extremamente bem presos, tão presos que pelo tamanho minúsculo e por serem de plástico, se os seus dedos estiverem úmidos ou um pouco oleosos, pode ser meio difícil tirar o cartucho, mas para contornar este problema existe um símbolo de um diamante gravado em alto relevo em ambos os lados que ajuda na pegada.

Porém, o mesmo símbolo que ajuda na hora de retirar o cartucho também atrapalha um pouco na hora de utilizar, pois dependendo como você usá-lo, seus lábios encostam nessa peça que tem linhas retas e você sente o formato do desenho, apesar disso os bocais são muito anatômicos e agradáveis.

A EXPERIÊNCIA DE USO


A experiência de uso é muito satisfatória principalmente pelo tamanho e peso, não deixando nada a desejar em relação a produção de vapor e sabor desde que você leve em consideração a portabilidade do dispositivo.

Apesar de receber ótimo sabor, no começo foi um pouco frustrante. Costumo testar qualquer aparelho com líquidos que eu conheço para poder comparar a experiência. Na primeira utilização de ambos os cartuchos eu utilizei um delicioso juice de tabaco com baunilha da marca Finest, com 30mg de Nicsalt, produto que inclusive terá sua review em breve e por saber sua nota e perfil e tido uma experiência sensacional com outros aparelhos, eu podia fazer uma comparação o IO.

Porém eu não senti sabor algum, mesmo aguardando muitos minutos após o primeiro refil e após vários puffs, não percebi qualquer nota e apenas soltava um vapor sem gosto, o que me fez pensar que esta seria uma análise bastante negativa em relação a sabor.

Porém, no dia seguinte o produto passou a funcionar como o esperado e eu só posso imaginar que foi necessário que o algodão realmente ficasse saturado com o líquido para que a entrega fosse satisfatória, após isso não tive mais problemas. O sabor em si inclusive é bastante presente para um dispositivo tão pequeno.

O carregamento é feito pela porta micro USB conectada diretamente ao computador em menos de 1 hora utilizando a porta USB 3.1 que entrega 900mah, enquanto a porta USB 2.0 que entrega apenas 500 mah precisou de um pouco mais de 1 hora para carregar. O manual informa que você pode usar um carregador de parede de no máximo 5 V (todos os aparelhos de cigarro eletrônico, dos menores aos maiores, só podem usar carregadores com no máximo 5 V), mas não informa qual é a corrente máxima em amperes.

A bateria possui duas potências, uma de 8.5 watts e outra com 5.5 watts quando o produto encontra-se com baixa carga, infelizmente o IO não informa quando isso acontece tampouco quando isso está prestes a acontecer, mas é nítida a perda de potência e capacidade de vaporização, o que inclui produção de vapor e sabor.

Isso pode ser frustrante e eu gostaria que houvesse uma luz indicadora colorida que pelo menos informasse percentuais diferentes de bateria, como ocorre em muitos dispositivos, pois é sempre interessante saber que a bateria está perto de ficar fraca para então carregá-lo e manter o aparelho em sua potência máxima para não mudar a forma como está acostumado a usá-lo, portanto fui obrigado a sempre mantê-lo carregando para tentar evitar isso, o que meio que acaba com toda a ideia de autonomia já que me vi constantemente com o IO conectado a algum computador.

O refil é feito abrindo o local de refilamento vedado por uma borracha que fica bem presa e não apresentou qualquer vazamento. O tamanho do orifício é pequeno, apesar disso consegui utilizar alguns frascos que possuem bico mais fino para refilar diretamente. Para outros frascos que possuem bico mais largo é que a Innokin oferece dois adaptadores de silicone com ponta de metal, ultrafinos.

Eu particularmente não gosto da necessidade de se ter adaptadores para fazer uma tarefa que está fundamentalmente nivelada entre os concorrentes sem a necessidade de maior esforço. A maioria dos aparelhos não requer ferramentas adicionais e caso você perca esses adaptadores, acabará praticamente inutilizando o produto dependendo do tipo de frasco dos produtos que você usa.

Percebi que o cartucho tem dificuldades para lidar com a viscosidade dos líquidos, mesmo os de 50% VG e 50% PG que são próprios para POD, sendo comum que o líquido fique apenas em um lado interno do cartucho e até criando bolhas de ar que dificultam a movimentação do líquido. Isso é um problema grave pois você passa a ter apenas uma canal de alimentação de juice para o algodão o que pode causar dry hits.

Apesar de temeroso eu continuei usando nos testes mesmo com o líquido apenas em um lado do cartucho e não percebi qualquer alteração no uso ou dry-hits, mas vi alguns reviews que mencionavam esse tipo de coisa.

Também é preciso dizer que usando o adaptador em alguns momentos é possível vazar um pouco de juice para fora do compartimento porque às vezes cria-se ar interno e isso dificulta a entrada do líquido.

Outro ponto negativo é a ocorrência de spitback, quando você recebe juice na boca pelo vazamento através do bocal. Isso acontece principalmente após retirar o IO de alguma superfície em que ele estava parado por um tempo na horizontal, mas nem sempre, apesar de ser uma quantidade pequena e facilmente contornável, porém você vai acabar sentindo o sabor picante da nicotina presente no líquido na ponta da língua, principalmente se estiver usando Nicsalt com 30mg ou mais, o que não é nem um pouco agradável e pelo menos para mim é de fazer careta e sair correndo para beber alguma coisa e passar o gosto ruim na boca, pois além de forte, arde. Isso infelizmente ocorre com uma frequência maior do que o ideal pois não lembro de ter ficado um dia inteiro sem sentir algum tipo de spitback, o que é um ponto bem negativo.

Um pequeno problema é identificar cada POD. A Innokin informa em seu manual que o cartucho que vem instalado é o de cerâmica e o extra é o de Kanthal, este vindo em um saquinho fechado. O de cerâmica possui a borracha de vedação do orifício do refil na cor verde enquanto a de Kanthal é na cor preta. Se você esquecer disso ou não decorar, não há outra forma de saber o que é o que sem visitar o site da empresa, esta informação não está nem nos cartuchos nem no manual, o que é um ponto negativo, apesar de ser bastante claro qual é qual durante o uso pois eles se comportam de formas muito diferentes, mas mesmo assim você continua sem saber do que o cartucho é feito.

A principal diferença entre eles está na performance, enquanto o cartucho de Kanthal com algodão entrega um sabor bastante presente com notas claras e definidas, de forma até surpreendente para um aparelho deste tamanho e potência, a coil com cerâmica é bem menos eficiente e entrega uma experiência menos satisfatória, parece simplesmente vaporizar menos líquido e entregar menos vapor, apesar de que ambas possuem a mesma resistência de 1.4 ohms e teoricamente deveria entregar a mesma potência.

A coil de Kanthal inclusive produz o leve estralar característico da vaporização do juice feito pelo aquecimento da coil enquanto a de cerâmica é silenciosa e muito menos eficiente.

Em questão de fluxo de ar, ambos são iguais e a tragada é restrita, porém é possível conseguir uma tragada ainda mais restrita (e para muitos considerada mais ideal, inclusive no meu caso) se você fechar ambos os orifícios de fluxo de ar com os dedos, localizados nas laterais do dispositivo. Se você comprar um IO, tente e entenderá do que estou falando. Mas ainda assim sua tragada é mais restrita que seus concorrentes, o que é um ponto positivo para quem busca a experiência MTL ou tragada fechada boca-pulmão.

Ao contrário da maioria dos PODS, não há indicação de conexão quando um cartucho é instalado e a luz indicadora acende apenas quando o aparelho está em uso ou ao ser carregado, não dando qualquer informação em relação à carga da bateria, exceto quando pisca 10x para informar que a bateria acabou e ele para de funcionar, o que é um pouco chato.

A longevidade dos cartuchos é bastante honesta e não senti qualquer perda de sabor após mais de 2 semanas de uso, o que também acrescenta um ponto bastante positivo ao aparelho.

CONCLUSÃO


Apesar de pequenas falhas de design e alguns problemas que podem ser todos colocados no reino do subjetivo, exceto a questão do spitback que é bem desagradável, ainda considero o IO da Innokin um excelente POD, principalmente pelo seu tamanho minúsculo, o que o torna muito agradável de usar sem perder qualquer eficácia na entrega de sabor, o que é bastante surpreendente.

Foi muito satisfatório testá-lo e indico a qualquer pessoa que deseja um produto que pode ser bastante eficaz para tirá-lo dos cigarros.

Com preço médio de R$ 150,00 em lojas nacionais, por oferecer 2 cartuchos com ótima longevidade e permitir uso de Freebase e Nicsalt (além de CBD) é sem dúvida um produto versátil com ótimo custo benefício.

Artigos relacionados

Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação. Imaginamos que você esteja feliz com isso, mas caso não queira, você pode optar por não aceitar. Aceitar Leia mais

Assine nossa newsletter!

e fique ligado nas novidades

Saiba tudo o que acontece sobre o vaping no Brasil e no mundo. Seus dados não serão compartilhados e só vamos lhe avisar sobre coisas importantes e bem legais!